Divididas sobre Estadual, Federações do Nordeste fixam teto de datas para competição



O presidente da Federação Pernambucana e o vice-presidente da CBF para o Nordeste, Gustavo Feijó, pretendem estar nesta semana com Marco Polo Del Nero e Manoel Flores, diretor de competições, para apresentar a decisão tomada pelos cartolas nordestinos na sexta-feira passada: o calendário dos Estaduais na região terá no máximo 18 datas. Alguns estados, no entanto, vão usar 12, já que a competição dá prejuízo a clubes e federações. Não é o caso de Pernambuco, que bateu o pé para ter as 18 datas, mas sem a necessidade de que os grandes atuem em todas elas.

– O modelo de campeonato estadual está ultrapassado. Tem que pegar os pequenos, fazer eles se classificaram e tirar uma elite e minoria. Deu certo aqui. Esse modelo antigo é uma perda de tempo, prejudica, não dá receita, não tem motivação – disse Evandro.



MaisRecentes

Zagueiro Felipe Santana, ex-Atlético-MG, pode ir para o futebol alemão



Continue Lendo

Investimento milionário na Granja Comary incomoda dirigentes de clubes da Série A



Continue Lendo

Cargos de vice-presidentes têm gerado desconforto entre grupos políticos no Vasco



Continue Lendo