Clubes querem derrubar vetos de Dilma no Profut



Na última terça, Dilma se reuniu com dirigentes de clubes, parlamentares e ministros para falar sobre a nova lei do Profut

Os vetos de Dilma no Profut sancionado na semana passada não agradaram boa parte dos grandes clubes. Os presidentes de Atlético-MG, Grêmio e Atlético-PR criticaram vários artigos retirados da nova lei pela presidente e irão tentar derrubar os vetos junto aos parlamentares do Congresso. “Temos que usar o mecanismo legítimo para derrubar alguns vetos que são absurdos”, diz Daniel Nepomuceno, presidente do Galo. A expectativa é que os vetos do Profut voltem à pauta do Congresso em setembro.

Mãos à obra
Tanto Daniel Nepomuceno quanto o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, afirmaram que irão “trabalhar para derrubar alguns vetos” de Dilma no Profut. Mas enquanto o dirigente mineiro citou a diminuição da idade mínima para registro de atletas de 14 para 12 anos, Bolzan critica a retirada do artigo que trata das sociedades empresariais e da redução do percentual mínimo da cláusula compensatória em caso de rescisão contratual com jogadores.

Situações opostas
Por sua vez, o presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, diz que “ficou decepcionado” com os vetos de Dilma no Profut. Ele considera que a estrutura do texto foi destruída e não vai topar o refinanciamento, até porque o clube é um dos clubes com situação mais tranqüila com uma dívida fiscal de apenas R$ 737,2 mil junto à União. Já o presidente do Galo, cuja dívida é de R$ 176 milhões, diz que o clube mineiro “irá aderir ao Profut de qualquer maneira”.



MaisRecentes

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo

Vasco convive com atrasos salariais, mas mantém ascensão no Brasileiro



Continue Lendo