CBF se surpreende com iniciativa de deputado aliado de pedir adiamento da votação da MP



Até a CBF foi surpreendida pela ação do deputado Marcelo Aro, diretor de ética e transparência da entidade, pedindo a retirada de pauta da votação da MP do Profut. Avisado por dirigentes de clube e parlamentares favoráveis ao projeto, o secretário-geral Walter Feldman ligou para Aro e foi claro: a manutenção do artigo 22, que qualifica os votos para eleições das federações estaduais fez parte da negociação que levou ao relatório final do deputado Otávio Leite. E disse mais, que Aro não estava autorizado a descumprir o acordo

Tendo sido diretor da Federação Mineira, Marcelo Aro é defensor do voto unitário que dá a ligas – algumas delas fantasmas – e clubes de menor representatividade o mesmo poder de voto dos grandes clubes nos processos de decisão e eleição das entidades.

O deputado foi procurado pela coluna e se posicionou:

– Eu não participei de acordo com Otávio Leite. Desde o dia em que ele deu o golpe e aprovou o relatório naquela sessão fantasma, relâmpago, nunca mais tinha conversado com ele. Não participei de acordo algum. Parece até que estão levantando a minha moral ao dizer que sou capaz de articular sozinho o adiamento da votação – garantiu Marcelo.



MaisRecentes

Dirigentes do Volta Redonda tentam explicar mistério sobre direitos de Marrony



Continue Lendo

FERJ e Corpo de Bombeiros estudam criar padronização na vistoria dos estádios



Continue Lendo

Piloto Átila Abreu, da Shell V-Power, tem novo patrocinador para a ‘Corrida do Milhão’



Continue Lendo