Com mudanças, MP do Profut será votada nesta quinta



Expectativa é que presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), leia o texto da MP em plenário ainda nesta quarta-feira, dia 1º

Após haver um acordo entre representantes do governo, parlamentares ligados à “bancada da bola” e o relator da MP 671, o texto da proposta que abrange o refinanciamento da dívida fiscal dos clubes de futebol terá mudanças importantes em relação ao relatório apresentado pelo deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), na semana passada.

A expectativa é que o novo texto seja lido ainda hoje pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e que seja a primeira pauta a ser votada nesta quinta-feira, 2.

Na queda de braço entre os defensores de uma MP com contrapartidas mais rígidas e os parlamentares da “bancada da bola” (ligados a clubes e à CBF), o segundo grupo saiu vitorioso. Do conteúdo, serão alterados pontos importantes como aumentar o limite de custos dos clubes com o departamento de futebol de 70% para 80% do orçamento, reduzir a rigidez do controle de déficit durante o refinanciamento, não tornar a Seleção Brasileira de futebol um Patrimônio Cultural, e reduzir de 10 para 5 anos o tempo de inelegibilidade de dirigentes punidos por gestão temerária.

Por outro lado, permaneceram algumas questões que os parlamentares ligados a clubes e à CBF eram contrários, como a obrigação de se apresentar a Certidão Negativa de Débitos (CND) junto à Receita para poderem participar das competições e o limite de uma única reeleição para dirigentes eleitos nos clubes e entidades.



  • Daniel

    Já mudaram novamente! Esperamos que a presidente vete e os caloteiros paguem suas dívidas.

  • alexandre

    ué, não eram 15 anos e tentavam diminuir para 10? verifiquem isso ai.

  • Figueira

    Acho interessante o fato de que, as empresas de comunicação, os bancos, as montadoras de automóveis, etc tenham benefícios fiscais, e que quando estes são para os clubes algumas pessoas se sintam ultrajadas.
    Você consegue ir à um teatro ou a um show, patrocinado por entes públicos ou beneficiado por isenções fiscais a preços populares?
    Deixemos de hipocrisia! Que se concedam benefícios os clubes e que estes consigam resolver suas pendências. Deixar como está não resolve nada, os clubes ficam na penúria e nosso futebol está indo para o buraco.

    • Daniel

      FODA-SE!!!!!!

  • Vergonha essas mudanças sem comentários….

MaisRecentes

Restituição crescente de verba dá ‘gás’ para Ministério do Esporte lutar por orçamento



Continue Lendo

Vadão está de volta à Seleção Brasileira feminina



Continue Lendo

Árbitro da final da Copa do Brasil é cruzeirense. Mas isso não tem a ver com futebol



Continue Lendo