‘Se a MP caducar, o temor é que o futebol brasileiro também caduque’, diz secretário do futebol



O Ministério do Esporte ficou satisfeito com a aprovação do relatório da Medida Provisória 671 na comissão mista que trata do assunto.

– Não tenho conhecimento profundo do regimento interno, mas aparentemente ele foi cumprido. O Senador Petecão e os deputados Otávio Leite e Evandro Roman estavam presentes, foi dada a tolerância e, na ausência dos outros, foi encerrada. Estamos contentes pelo encaminhamento da MP. Esperamos que seja votado com responsabilidade e tenhamos ações que vão modernizar e criar responsabilidade fiscal – afirmou o secretário nacional do futebol, Rogério Haman, que participou nesta sexta-feira do I Encontro Nacional Pela Paz, no Rio.

Mas a aprovação na comissão e o primeiro passo. O texto ainda terá que passar pela Câmara e o Senado. A questão que preocupa é o prazo máximo para isso: 17 de julho.

– A MP é um marco para o futebol brasileiro, para possibilitar a gestão moderna. Se a MP caducar, o temor é que o futebol brasileiro também caduque. A expectativa é que os parlamentares vão defender os interesses do futebol, o que é mais importante – completou Haman, reforçando que, apesar das emendas, o governo ficou satisfeito com o teor do relatório do deputado federal Otávio Leite:

– A preocupação sempre foi com a essência. Temos consciência que ela passa pelo debate e fica sujeita a aprimoramentos. Mas a essência, a contrapartida pelo financiamento, foi preservada e isso atende à expectativa do Ministério do Esporte.



MaisRecentes

CBF começa treinar instrutores para curso do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Se estrear na próxima rodada, árbitro de vídeo não será para todos os jogos da Série A



Continue Lendo

Licenciamento vira argumento de CBF e clubes para minimizar liminar contra exigência de CND



Continue Lendo