‘Se a MP caducar, o temor é que o futebol brasileiro também caduque’, diz secretário do futebol



O Ministério do Esporte ficou satisfeito com a aprovação do relatório da Medida Provisória 671 na comissão mista que trata do assunto.

– Não tenho conhecimento profundo do regimento interno, mas aparentemente ele foi cumprido. O Senador Petecão e os deputados Otávio Leite e Evandro Roman estavam presentes, foi dada a tolerância e, na ausência dos outros, foi encerrada. Estamos contentes pelo encaminhamento da MP. Esperamos que seja votado com responsabilidade e tenhamos ações que vão modernizar e criar responsabilidade fiscal – afirmou o secretário nacional do futebol, Rogério Haman, que participou nesta sexta-feira do I Encontro Nacional Pela Paz, no Rio.

Mas a aprovação na comissão e o primeiro passo. O texto ainda terá que passar pela Câmara e o Senado. A questão que preocupa é o prazo máximo para isso: 17 de julho.

– A MP é um marco para o futebol brasileiro, para possibilitar a gestão moderna. Se a MP caducar, o temor é que o futebol brasileiro também caduque. A expectativa é que os parlamentares vão defender os interesses do futebol, o que é mais importante – completou Haman, reforçando que, apesar das emendas, o governo ficou satisfeito com o teor do relatório do deputado federal Otávio Leite:

– A preocupação sempre foi com a essência. Temos consciência que ela passa pelo debate e fica sujeita a aprimoramentos. Mas a essência, a contrapartida pelo financiamento, foi preservada e isso atende à expectativa do Ministério do Esporte.



MaisRecentes

Conmebol anunciará veredito do Flamengo na segunda semana de janeiro



Continue Lendo

Presidência da Primeira Liga fica com o América-MG; vice é do Paraná



Continue Lendo

Botafogo recupera certificado de clube formador da CBF



Continue Lendo