Aidar irá discurtir dívida de R$ 2,5 mi com presidente do Conselho



Aidar diz estar sendo pressionado por conta da ação que fez o clube perder R$ 2,5 milhões

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, pretende conversar nesta semana com o presidente do Conselho, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, por conta da dívida de quase R$ 2,5 milhões que o clube teve que pagar à empresa que intermediou a compra do lateral Jorginho Paulista, em 2002. Então diretor de futebol, Leco foi quem autorizou o pagamento de comissão que culminou na condenação do clube, há um mês. Além disso, o dirigente é um dos principais opositores à atual gestão do clube. Já Aidar diz que está sendo pressionado a fazer algo sobre o dano causado ao clube.

Dívida em aberto
Em dificuldades financeiras, o São Paulo teve que usar praticamente toda a renda do jogo no Morumbi contra o Cruzeiro, pela Copa Libertadores, para quitar a dívida cobrada na Justiça. A intenção da diretoria era utilizar o dinheiro para pagar os dois meses de direito de imagem com jogadores que estão atrasados.

Pego de surpresa
Sobre a iniciativa de Carlos Miguel Aidar de procurá-lo, Leco diz que está aberto a conversar para tratar do assunto. Segundo ele, a negociação que gerou a dívida para o São Paulo foi “um ato normal de gestão” e que foi pego de surpresa com a ação. “Esse é um acordo de 13 anos atrás. Se havia essa pendência, tinham que cobrar o presidente naquela época”, comentou Leco. O mandatário do São Paulo em 2002 era Marcelo Portugal Gouveia, que faleceu em 2008.

Tudo a perder
Sobre a articulação política dos parlamentares ligados à “bancada da bola” para tentar derrubar a MP do Profut ou ao menos aprovar uma norma mais branda para clubes e a CBF, o presidente da Comissão Mista, Sérgio Petecão (PSD-AC), diz que a iniciativa é um tiro no pé. “O projeto é para ajudar os clubes, que estão em situação de penúria. Sem as contrapartidas, todo mundo perde pois o governo vai vetar”, aponta Petecão.

Futebol de saia
O presidente da Federação Baiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, quer aproveitar que o futebol feminino está em alta na CBF para apresentar uma proposta voltada à modalidade. A ideia do dirigente é que torneios femininos sejam uma iniciativa obrigatória em todos os estados do país. Na Bahia, o campeonato feminino é realizado desde 1984 com exceção de quatro anos: 1992, 1996, 1997 e 2007.

No tempo certo
Entre as sugestões que levará à CBF, o presidente da FBF pedirá ainda que os campeonatos femininos deixem de ser facultativos de cada federação e entrem oficialmente no calendário da entidade. A intenção de Ednaldo Rodrigues é levar a proposta antes da publicação do calendário anual pela CBF, que ocorre em agosto.

Nas redes sociais
O Esporte Interativo (EI) aponta ter atingido o maior engajamento entre as páginas de esportes no Facebook em todo o mundo. Segundo o Socialbakers, que mede a interação dos fãs nas redes sociais, o canal atingiu 45,6 milhões de interações em maio, número que o Esporte Interativo atesta ser superior que times (Barcelona, Real Madrid, Flamengo), ligas (NBA e NFL) e jogadores (Messi, CR7 e Beckham).

Nota 10
O australiano Owen Wright entrou para o seleto grupo de surfistas que conseguiram fechar uma bateria com duas notas máximas e somar 20 pontos.

O feito foi alcançado na quinta fase do Fiji Pro, que ocorreu na madrugada de ontem, quando Wright eliminou o também australiano Adam Melling.

Em quase 40 anos de história do Circuito Mundial, apenas cinco surfistas conseguiram tirar duas notas 10 na mesma bateria.

O primeiro deles foi o californiano Shane Beschen, em 1996. Depois dele vieram o também americano Kelly Slater (2005 e 2013), o australiano Joel Parkinson (2008), o francês Jeremy Flores (2011) e agora Wright.

– Eu nunca imaginei na minha vida que eu iria conseguir 20 pontos numa bateria – afirmou o australiano após o feito.

De Letra

“Esse tipo de evento precisa acontecer sempre, e não apenas antes das Olimpíadas”

Ednaldo Rodrigues, presidente da FBF, sobre o Seminário de Desenvolvimento do Futebol Feminino, realizado no mês passado pela CBF.



MaisRecentes

Vitória de Mufarrej no Botafogo não significará troca de funcionários



Continue Lendo

Presidente do COB diz que entidade já mudou e pede: ‘Vejam com outros olhos’



Continue Lendo

Corinthians espera premiação do Brasileiro em dezembro



Continue Lendo