Andrés Sanchez terá que devolver R$ 100 mil por não comprovar origem de dinheiro de sua campanha



Dirigente corintiano terá que devolver R$ 100 mil ao Tesouro Nacional por não comprovar origem de dinheiro utilizado na campanha para deputado federal

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) desaprovou as contas apresentadas pelo superintendente de futebol do Corinthians, Andrés Sanchez, para o pleito de 2014 quando se elegeu deputado federal pelo PT. A ação foi julgada na tarde desta quinta-feira, 21, e a decisão foi unânime.

Segundo o processo, Andrés entregou a prestação de contas de sua campanha com ausência do doador originário em uma doação de R$ 100 mil e não conseguiu comprovar a origem do valor. Por conta disso, terá que devolver o valor ao Tesouro Nacional por meio do Guia de Recolhimento da União (GRU) em até 5 dias.

Vai recorrer
Em nota publicada no início da noite desta quinta, Andrés diz que a verba foi doada pelo Comitê Financeiro Estadual do PT através de cheque nominal, e que foi emitido recibo eleitoral pelo recebimento como determina a lei. E que o documento foi assinado pelo PT tendo como doadora originária a presidente Dilma Rousseff, então candidata à reeleição.

Ainda de acordo com a nota, o doador originário foi posteriormente retificado para a empresa UTC Engenharia, e que toda a declaração foi realizada.

“Comunico que vamos recorrer no próprio Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo da decisão proferida (…) pois a relatora do processo diz que não há no processo prova de origem da doação realizada a minha campanha, coisa que discordo, diante da farta documentação apresentada (…)”, escreve Andrés na nota divulgada.

 



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo