Relação da ‘bancada da bola’ com clubes e CBF preocupa o Bom Senso FC



 

Bom Senso FC quer aprovação de normas na MP do Profut que desagradam a CBF

A estreita relação de deputados e senadores com clubes e a CBF tem preocupado os integrantes do Bom Senso FC para a votação da Medida Provisória (MP) do Profut. Para o movimento de atletas, a chamada “bancada da bola” no Congresso deve fazer a diferença na hora de decidir o conteúdo a ser aprovado, retirando assim os pontos que mais desagradam a entidade. O principal deles é o artigo 5, que entre as imposições limita os mandatos dos dirigentes na CBF e estabelece que atletas participe das eleições na entidade.

Canal aberto
Apesar dos embates por conta de suas reivindicações por melhorias no futebol, integrantes do Bom Senso FC avaliam que ao menos diálogos tem tido com a cúpula da CBF desde que a nova diretoria assumiu a entidade, principalmente com o secretário-geral, Walter Feldman, que esteve em Brasília para a audiência pública da MP do Profut. Já na gestão do ex-presidente José Maria Marin, as conversas nunca existiram.

Novo desafio
Novo coordenador do futebol feminino na CBF, o ex-vereador paulistano e conselheiro do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, afirmou não teve como recusar “um convite desse porte” devido ao desenvolvimento que se é esperado para a modalidade no país. O acordo foi firmado após reunião na semana passada e Cunha se reportará ao coordenador de seleções da CBF, Gilmar Rinaldi.

Panos quentes
A ida de Marco Aurélio Cunha para a CBF gerou até mensagem positiva de dirigente que até então era seu desafeto. Vice-presidente geral do São Paulo, Julio Casares postou em sua conta no Twitter que “a cidade perde um vereador mas o esporte ganha um reforço”. Antes das eleições do São Paulo, no ano passado, Cunha e Casares chegaram a discutir ao vivo em um programa esportivo na TV.

Regras em Itaquera
Os adversários do Corinthians que jogarem na Arena do clube durante o Brasileiro irão receber uma cartilha com regras e sugestões de atividades no estádio, como momento de aquecimento no gramado, onde realizar as entrevistas, etc. Segundo o gerente de futebol do clube, Edu Gaspar, a iniciativa “visa valorizar o produto futebol” e deveria ser realizada pela CBF em todos os estádios do torneio.

Boa ação
Após as ações sociais bem sucedidas “Meu sangue é rubro-negro”, de 2012, e “Doação de escudos”, deste ano, o Vitória está colhendo assinaturas ao longo deste mês junto aos torcedores para serem declarados doadores de órgãos. Os nome serão entregues ao Sistema Nacional de Transplante, do Ministério da Saúde. A iniciativa é uma das ações voltadas aos 116 anos do clube, que é comemorado hoje.

Sushi paraguaio
O Guaraní, do Paraguai, aproveita a visibilidade do jogo contra o Corinthians pela Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira, para faturar. O clube fechou patrocínio pontual para a partida com a rede Temakeria Makis Place, que estampará sua marca na manga da camisa do time paraguaio. O valor do acordo não foi divulgado.

Bola latina
A Nike lança nesta semana uma série especial de reportagens que mostrará como o futebol jogado em espaços reduzidos, como as ruas, influenciam o desenvolvimento do esporte na América Latina.

A iniciativa da fabricante de material esportivo, que será divulgada em seu canal Nike News, tem como gancho o início da Copa América 2015, no próximo mês.

A série será dividida em quatro partes com depoimentos de jogadores profissionais, técnicos, figuras culturais e talentos amadores.

O destaque do primeiro capítulo da série será a Cidade do México, que terá depoimentos do atacante Raul Jimenez, do Atlético de Madrid.

Na sequência, serão abordadas as heranças futebolísticas das cidades de Buenos Aires, Rio de Janeiro e, por último, Santiago do Chile.

De Letra

“Não estamos esperando os resultados caírem do céu”

Raimundo Viana, presidente do Vitória, sobre os trabalhos que estão sendo realizados mesmo com o início de ano decepcionante do time dentro de campo.



  • O grande problema a ser resolvido no futebol brasileiro são os dirigentes.Muitos usam os clubes para se promover politicamente, outros para outros fins. É presciso criar algo muito sério para punir os dirigente, assim como é feito em vários paízes.enquanto isso não for feito tudo vai continuar como está.

  • Vitor Gomes

    Tudo por dinheiro… Uma vergonha essa iniciativa da Nike. Rua não é lugar para se incentivar a prática do Futebol ! Isso é coisa do passado.

MaisRecentes

Presidente eleito da Federação Mineira vê clubes de BH no mesmo nível de SP e RJ



Continue Lendo

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo