Em pouco mais de 2 anos, Flamengo reduziu ações trabalhistas em 85%



Para presidente do Flamengo, situação em relação às ações trabalhistas estará mais confortável a partir de 2016

Ao mesmo tempo que tem aumentado sua receita, sendo hoje o clube que mais fatura no país, o Flamengo também tem se acertado na área cível. Quando a atual gestão assumiu o clube, no início de 2013, o Flamengo tinha um total de 580 ações trabalhistas, número que hoje é de “apenas” 80. “É um processo e acredito que a partir de 2016 a situação estará mais confortável”, comenta o presidente Eduardo Bandeira de Mello. Só no ano passado, o clube rubro-negro teve uma despesa total de R$ 48,5 milhões em depósitos judiciais.

Vaga garantida
Um fato foi crucial para o Flamengo obter uma vaga na Superliga Masculina de Vôlei por meio da parceira com o time da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O novo reitor da instituição mineira, Júlio Chebli, que assumiu o cargo em setembro do ano passado, estava disposto a se desfazer da equipe para reduzir as despesas, o que facilitou as negociações para o clube assumir o lugar da UFJF na elite do vôlei nacional.

Revolta
Vereador de SP e conselheiro do Palmeiras, Nelo Rodolfo solicitará uma audiência ao presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos, para pedir a saída do coronel Marinho à frente da Comissão de Arbitragem do futebol paulista. Além do encontro, Rodolfo irá propor a campanha “Coronel Marinho, pede para sair! Ou a Nação Alviverde vai te tirar”.

Pressionados
A iniciativa de Nelo Rodolfo tem como motivação a atuação do árbitro Guilherme Ceretta na decisão do Paulista 2015 em que o Santos venceu o Palmeiras. Na avaliação do conselheiro palmeirense, o árbitro pressionou os atletas palmeirenses ao dar cartão para Dudu e Valdivia logo no início do jogo. “Nunca engoli a escolha desse Marinho para a arbitragem da federação”, diz Rodolfo.

Muito barulho
A Arena Fonte Nova teve que cancelar, de última hora, um evento que estava previsto para este final de semana, além de encerrar as vendas de ingresso para o show do Skank que estava marcado para o próximo dia 16. O fato deve-se a uma ação judicial expedida ontem proibindo qualquer evento que não seja partidas de futebol no estádio por conta da poluição sonora.

Multa pesada
A decisão do juiz Mário Soares Caymmi Gomes, da 8 Vara da Fazenda Pública pede ainda que seja feita uma proteção ao redor do estádio neste fim de semana para evitar problemas com o público que já adquiriu ingressos para o show agendado. Além disso, impõe uma multa diária de R$ 50 mil caso algum evento seja realizado no local.

Vai recorrer
Em janeiro, uma liminar excluiu a Fonte Nova de pertencer à Zona de Exclusão de Salvador, norma que permite que áreas como o Pelourinho e eventos como o Carnaval de ultrapassarem os limites sonoros do município. A Fonte Nova Negócios e Participações (FNP), que administra o estádio, irá recorrer da decisão por considerá-la arbitrária e aponta que nenhuma reclamação foi feita pelos moradores da região da Arena nos últimos 12 meses.

Motorizado
Já patrocinado por marcas do porte de Oakley, Hurley e Nike, o surfista Filipe Toledo fechou ontem mais uma parceria de peso, agora com a Jeep.

O contrato com a montadora é de dois anos e o atleta é o primeiro surfista a ser patrocinado pela empresa.

Para a escolha do brasileiro, a Jeep levou em consideração o fato de Filipe Toledo ter apenas 20 anos e ser o mais novo surfista do Circuito Mundial de Surf (WCT).

– Hoje temos marcas que nunca imaginaríamos apoiando o surfe e isso motiva os mais jovens – diz o brasileiro.

Com o acordo, a imagem de Filipe Toledo será explorada pela montada em ações publicitárias e o brasileiro terá um carro da marca que vale mais de R$ 80 mil disponível em qualquer país onde estiver disputando as etapas do Circuito Mundial.

De Letra

“Estamos bem abaixo do limite de 70% previsto na MP”

Modesto Roma Júnior, presidente do Santos, rebatendo levantamento publicado pela coluna que não incluia o clube entre os que atendem a MP do Profut.



MaisRecentes

Novo diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni tem três nomes para lugar de Abel Braga



Continue Lendo

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo