Apenas 5 clubes se enquadram no limite de 70% da MP do Profut para gastos com futebol



Atlético-MG conquistou a Copa do Brasil, mas custo com o departamento de futebol do clube representou 106% de sua receita no ano

Dos 20 maiores clubes do futebol brasileiro, em apenas cinco os custos com departamento de futebol estão abaixo do limite de 70% da receita total como prevê o texto original da Medida Provisória (MP) do Profut: Fluminense (67%), Vasco (60%), Flamengo (49%), Goiás (48%) e Atlético-PR (45%). O Atlético-MG é o clube que terá mais problemas para se enquadrar à norma sugerida pelo governo já que gastou o equivalente a 106% de sua receita com a folha salarial do departamento.

Em Brasília
Os dados estão na análise dos balanços financeiros dos clubes feita pelo consultor em gestão e marketing esportivo Amir Somoggi. As informações serão apresentadas hoje pelo consultor aos parlamentares da Comissão da MP do Profut, em Brasília, durante a primeira audiência pública para debater a proposta cujo tema será “O futuro do futebol”.

Pesando na conta
Em relação aos custos dos clubes com departamento de futebol, o Palmeiras foi o que mais aumentou as despesas na área entre os maiores times do país, com alta de 51% no ano passado. Em 2013, o clube tinha apenas o 10 maior custo com futebol do país e passou a ter o 3 mais caro com R$ 202,3 milhões, ficando atrás apenas dos rivais Corinthians (R$ 238,5 mi) e São Paulo (R$ 235,5 mi).

Além do futebol
Se no futebol os custos do Palmeiras cresceram, fora dele o clube tem tido dificuldade para arrecadar. Das 16 modalidades não profissionais com movimentações financeiras em 2015, apenas quatro geraram receitas: atletismo, arco e flecha, hóquei e judô, que somaram apenas R$ 8,8 mil de faturamento. Arco e flecha foi a que mais deu retorno, R$ 5,5 mil. Já as despesas nos três primeiros meses do ano somam R$ 1,7 milhão, segundo dados do balancete do clube.

Sem acerto
O Paraná Clube deu entrada ontem com reclamação junto a Comissão Disciplinar da Fifa contra o Flamengo. O clube carioca foi condenado pela Fifa a pagar 55 mil euros (cerca de R$ 190 mil) pela contratação de Thiago Neves ao clube formador do atleta, no caso o Paraná Clube. Apesar do acordo entre os clubes, o Flamengo não pagou as parcelas iniciais.

Morde e assopra
A escolha do empresário João Doria Jr. para chefiar a delegação da Seleção Brasileira na Copa América do Chile não surpreendeu apenas por fugir dos convidados de costume da CBF, como presidentes de clube e políticos. Doria faz parte do grupo que atua no Pacto Setorial do Esporte, iniciativa que já conta com 16 grandes empresas e que visa maior transparência das entidades esportivas.

Ação global
Os craques Lionel Messi (Barcelona) e James Rodriguez (Real Madrid) irão estrelar a nova campanha global da Gatorade que será veiculada a partir do final deste mês. A ação reforçará o conceito “O Suor Faz Mágica”, lançado pela marca para mostrar os benefícios da bebida aos atletas. Essa será a 1 participação de Messi após renovar seu contrato com a Gatorade.

Recusado
Vereador de SP e conselheiro do Palmeiras, Nelo Rodolfo enviou ontem uma carta ao presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, recusando o convite para a festa do Paulistão 2015 que ocorreu ontem, na capital paulista.

O motivo foi “não se sentir bem no mesmo espaço” que o coronel Marinho, chefe da arbitragem de SP, que foi acusado pelo dirigente de prejudicar sistematicamente o Palmeiras.

No documento, ele diz que o árbitro Guilherme Ceretta teve uma “desastrosa atuação” na final entre Palmeiras e Santos que influenciou diretamente o resultado.

Rodolfo ainda atacou as condições do coronel Marinho como chefe da arbitragem paulista.

– Pergunto ao senhor: que formação tem este coronel para dirigir a Comissão de Arbitragem? – indagou o conselheiro.

De Letra

“É inexplicável a permanência dele à frente da Comissão de Arbitragem”

Nelo Rodolgo, vereador de SP e conselheiro do Palmeiras, sobre coronel Marinho em carta enviada ao presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos.



MaisRecentes

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo

Técnico brasileiro Milton Mendes renova mais alta licença da Uefa para técnicos



Continue Lendo