Após conquista do Mundial de Clubes, receita do Corinthians teve queda de 30%



Gestão do ex-presidente Mário Gobbi é considerada uma das piores dentro do Corinthians por conta do rombo financeiro que deixou no clube

O Corinthians atingiu o melhor momento de sua história em 2012, tanto dentro de campo, com a conquista do Mundial, como nas finanças, quando faturou R$ 358,5 milhões sendo líder disparado em receitas no país. Desde então, entretanto, o clube vem em queda. Em 2013, dois títulos conquistados, o principal o da Recopa Sul-Americana, e um faturamento de R$ 316 milhões. Já no ano passado, nenhum título dentro de campo e apenas R$ 258,2 milhões em receitas, uma queda de 30% no valor em relação a 2012.

Mais é menos
Apesar da queda na receita e do ano sem títulos, o Corinthians aumentou em 60% os gastos com aquisição de jogadores em 2014. Segundo o balanço financeiro publicado ontem, foram R$ 39,8 milhões de custo com a compra de atletas contra R$ 15,7 milhões em 2013. Grande parte dos gastos deve-se às aquisições de Elias e Lodeiro, além de parcelas das compras de Alexandre Pato e Renato Augusto feitas no ano anterior.

Só elogios
No evento do São Paulo realizado ontem, no Morumbi, para anunciar o time de vôlei do clube em parceria com o Taubaté, o presidente Carlos Miguel Aidar rasgou elogios ao diretor comercial Marcelo Pepe. Na visão de Aidar, o dirigente é o grande responsável em reforçar a marca são-paulina em três novos projetos – futebol feminino, futsal e vôlei – sem custo nenhum para o clube.

Nova ação
Após realizar um show de rock antes e no intervalo do jogo contra o Corinthians, pela Libertadores, o São Paulo já negocia a liberação junto à Conmebal para fazer uma nova ação de marketing na partida da próxima quarta-feira, 06, contra o Cruzeiro. A única certeza da iniciativa, ainda em planejamento, é que será algo com a nova camisa do clube, agora fabricada pela americana Under Armour.

Nomeados
Após reunião realizada ontem, em Brasília, a Comissão Nacional de Atletas (CNA) nomeou a ex-jogadora de basquete Hortência Marcari como vice-presidente e o atleta paraolímpico de atletismo Anderson Lopes como secretário do órgão. Na última quarta-feira, 29, a CNA foi reativada pelo Ministério do Esporte após nove anos e será presidida pelo velejador Lars Grael.

Concorrido
Alternativa mais cômoda (e cara) para os palmeirenses irem à final contra o Santos na Vila, o pacote da Palmeiras Tour recebeu mais de 2 mil pedidos de interessados em pagar R$ 530 na entrada que inclui translado com escolta para o jogo. A agência, entretanto, ficou com apenas 120 dos 1.350 ingressos disponibilizados para o Palmeiras.

Craque político
Uma fotografia de Sócrates (1954-2011) com o tradicional punho cerrado de suas comemorações de gols fará parte da exposição “30 Anos de Redemocratização do Brasil”, promovida pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) com início hoje, em SP. A imagem do craque do Corinthians e da Seleção estará presente na exposição por sua participação ativa no movimento das Diretas Já e de ter sido um dos líderes da Democracia Corintiana.

Mascote
A Federação Mundial de Badminton (BWF) optou por uma iniciativa curiosa para tornar a modalidade mais conhecida entre os brasileiros já que essa prática esportiva estará nos Jogos Rio-2016.

A entidade criou um mascote para ajudar a divulgar o Badminton no país e uma votação será realizada para escolher o nome do personagem.

Por meio de sua página no Facebook, o público terá três opções para nomear o mascote: Super Minton, Zé Peteca e Petekin.

A votação para a escolha do nome vai até o próximo dia 15, véspera do lançamento oficial do mascote no país.

De Letra

“A CNA só pode existir se houver uma ideologia em defesa do esporte e do atleta brasileiro”

Lars Grael, velejador e empossado presidente da Comissão Nacional de Atletas (CNA), sobre a atuação do órgão reativado pelo Ministério do Esporte.



MaisRecentes

‘Rainbow Six Pro League’, no Rio de Janeiro, neste fim de semana, terá premiação milionária



Continue Lendo

Superintendente garante que não há obstáculos para construir no campo do Everest



Continue Lendo

Detalhe técnico pode impossibilitar obra no campo do clube Everest



Continue Lendo