Oposição do São Paulo tentou anular aprovação do balanço de 2014



Grupo de Juvenal Juvêncio tentou anular aprovação de balanço mas não obteve sucesso

Liderado pelo ex-presidente Juvenal Juvêncio, a oposição do São Paulo fez ao menos duas tentativas para anular a aprovação do balanço de 2014 na reunião do Conselho Deliberativo, na última segunda. A primeira foi alegar a falta de documentos em relação às contas do clube, atitude que revoltou conselheiros por desmerecer o trabalho feito pelo Conselho Fiscal. O grupo também tentou impedir a votação dos atuais diretores que são conselheiros, justificando participação na elaboração do balanço.

Gol contra
Ambas as tentativas da oposição do São Paulo foram colocadas em votação no Conselho mas acabaram vetadas. Segundo diretores são-paulinos, a iniciativa do grupo de Juvenal Juvêncio de inviabilizar a aprovação do balanço na reunião “foi uma ação contra o próprio clube”. Apesar do ocorrido, a avaliação é que o clima do encontro foi menos tenso do que os dois últimos encontros do clube.

Pesando na conta
Apesar do déficit de R$ 94 milhões em 2014 e das críticas da oposição, a diretoria do São Paulo comemora uma redução de R$ 10 milhões nas despesas em relação ao ano anterior, quando Juvenal ainda era o presidente. E aponta ainda como herança da gestão passada as prestações para pagamentos de empréstimos bancários que, com os juros, somam cerca de R$ 8 milhões por mês.

Agentes CBF
Na avaliação de Jorge Moraes, presidente da Associação Brasileira de Agentes de Futebol (Abaf), a nova regulamentação que deve ser publicada hoje pela CBF deverá conter “critérios de seleção” no registro dos intermediários de negociações de jogadores. Moraes diz ainda que a entidade foi consultada informalmente pelo advogado especialista em direito esportivo Marcos Motta, que assessorou a CBF na elaboração do texto.

Entre os sócios
Na reunião do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeiras, na última segunda, foram apresentados três orçamentos para a reforma e aparelhagem dos prédios da sede do clube: R$ 19,5 milhões, R$ 24 milhões e R$ 28 milhões. Se aprovado, a mensalidade dos sócios terá acréscimo entre R$ 50 a 70 no plano individual, que hoje é de R$ 110, e entre R$ 80 a R$ 120 no plano familiar, que é de R$ 195.

Em obras
Além do aparelhamento da sede, as obras no Palmeiras abrangem a instalação da parte elétrica e hidráulica dos prédios, além de ar-condicionado. O valor do orçamento será definido em reunião prevista para o próximo dia 13 e a cobrança sobre a mensalidade dos associados deve ocorrer entre maio deste ano e dezembro de 2016.

De olho no pódio
De olho nos Jogos Rio-2016, a GE anuncia hoje em evento no Rio de Janeiro o patrocínio à equipe brasileira de canoagem. Com o acordo, a companhia de origem americana realizará pesquisas para melhorar a performance dos atletas brasileiros na modalidade. Os estudos esportivos serão realizados de Pesquisa e Desenvolvimento da GE, na capital fluminense, um dos cinco que a empresa mantém no mundo.
Raquetada
Ao lado de China e Índia, o Brasil foi escolhido para sediar o torneio juvenil de tênis “Rendez Vous à Roland Garros”. A competição terá chaves masculina e feminina com 16 atletas cada e será realizada no clube Paineiras, em São Paulo, entre os dias 16 e 19 de abril.

Os campeões de cada chave irão representar o país no triangular final, em Paris, na França, contra tenistas vencedores dos dois países asiáticos.

A disputa na capital francesa dará ao vencedor uma vaga na chave principal do torneio juvenil de um dos torneios mais charmosos do mundo do tênis, Roland Garros.

O Brasil tem grandes chances de se destacar na disputa. No ano passado, o país ficou entre os seis melhores do mundo entre os juvenis com nove jogadores entre os 100 melhores do ranking.
De Letra

“É um equívoco da Fifa dizer que só 20% das operações de atletas são feitas por agentes”

Jorge Moraes, presidente da Associação Brasileira de Agentes de Futebol (Abaf), ao comentar a nova regra que desregulamenta a função “agente Fifa” do futebol.



  • Por que essa coluna não sai só na ediçào de SP . Afinal o colunista acha que não existe futebol fora da cidade que fica do lado mais frio da Dutra .

  • José Henrique

    Vai ler aquele tal de Joãozinho então, que você acompanha “diariamente”. É de São Paulo, aquele?

MaisRecentes

Federação dos Treinadores faz reunião com participação de diretor da CBF



Continue Lendo

Clubes do Rio e organizadas: STJD discutirá se tem ‘poder’ para analisar casos



Continue Lendo

Novo auxiliar do Palmeiras: Apoio de Dunga e passado com Roger



Continue Lendo