Turner cogitou nomear canal esportivo no Brasil



Grupo americano anunciou ontem a aquisição de 100% do canal Esportivo Interativo

Antes mesmo de adquirir a totalidade do canal Esporte Interativo, o grupo americano Turner fez pesquisas de mercado no final do ano passado para que seu canal esportivo fosse nomeado com sua marca. Em um vídeo produzido pela companhia diz que “a partir de 2015 o esporte tem um novo nome: Turner Sports”, e divulga as modalidades e torneios que seriam transmitidos pelo novo canal, entre eles Copa Nordeste e Copa Verde, cujos direitos de transmissão são do Esporte Interativo.

Nome mantido
A Turner já havia adquirido parte do canal Esporte Interativo em 2013 e ontem anunciou oficialmente a compra de 100% do canal esportivo brasileiro. Mesmo com a aquisição, a posição das empresas é que não haverá mudanças na marca do canal. Em nota, o presidente da Turner América Latina, Juan Carlos Urdaneta, afirma que “considera a marca e o posicionamento do Esporte Interativo bastante atrativos”.

Otimismo
Com a negociação, o Esporte Interativo ganha força na negociação com NET e SKY para entrar na grade das operadoras neste ano. Internamente, apesar das negociações em andamento, há a certeza de que os fãs de futebol no Brasil não ficarão sem ver craques como Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo até 2018, ano em que termina os direitos de transmissão da Liga dos Campeões pelo canal.

Escalando o time
Após mudanças em sua estratégia no futebol, a Penalty pretende ampliar este ano seu time de jogadores patrocinados. A marca conta com uma lista de 20 nomes de atletas para prospectar, sendo quatro deles com “potencial de Seleção”, segundo um executivo da marca. Atualmente, a Penalty patrocina apenas o ex-jogador Alex e pretende estar com seu time consolidado até 2016.

Brasil perde Indy
O cancelamento da Indy no Brasil foi motivado por um veto do Ministério Público aos gastos feitos no autódromo de Brasília e para sediar a prova. O MP optou pelo cancelamento devido a pendências da gestão anterior do governo. A Band emitiu nota informando que a decisão foi unilateral da Terracap, agência de desenvolvimento do DF. .

Comitê
Ontem, na reunião com representantes do governo, o Bom Senso voltou a defender a criação de um comitê que fique responsável em fiscalizar e punir os clubes que desrespeitarem o fair play financeiro.

A idéia é que o órgão seja composto por cinco membros, cada um representando uma das áreas envolvidas na questão: atletas, treinadores, clubes, CBF e o Conselho Federal de Contabilidade.

O mandato dos membros seria de dois anos e com atuação independente. Dessa forma, o comitê ficaria acima da CBF, que teria que acatar qualquer decisão do órgão em relação aos clubes.

Os representantes do Bom Senso saíram otimistas após a reunião com o grupo interministerial designado por Dilma para tratar da lei que refinancia a dívida dos clubes.

De Letra

“Há um grande entendimento em relação às contrapartidas que temos defendido”

Ricardo Borges, diretor-executivo do Bom Senso, sobre a recepção por parte do governo da proposta do movimento para a lei que refinancia a dívida dos clubes.



  • José Henrique

    Comitê ? Mais um lugar para ajeitar emprego para os caras do bom senso.
    Será que terão empresários para gerenciar esses mandatos no tal comitê ?
    E, quem vai votar nos membros desse comitê ?
    Eles mesmos? Fim da picada esse bom senso.

MaisRecentes

Promotor vê cessão de ingressos como incentivadora da violência das torcidas



Continue Lendo

Del Nero estava em reunião quando soube de suspensão. E não pode pisar na CBF



Continue Lendo

Ideia de biometria em setor de organizadas não entra em regulamento da CBF



Continue Lendo