Em reunião com o governo, Bom Senso apresenta seu modelo de contrapartidas para os clubes



Movimento de atletas se reuniu com representantes do governo nesta quinta-feira, em Brasília

Os representantes do Bom Senso FC aproveitaram a reunião com o governo na tarde desta quinta-feira, 29, em Brasília, para apresentar seu modelo de contrapartidas aos clubes que não respeitarem o “fair play financeiro’, como atrasar salários de jogadores e não pagarem dívidas fiscais. Segundo Ricardo Borges, diretor-executivo do movimento de atletas, a reunião foi “protocolar” mas a ideia apresentada foi bem recebida pelo governo.

– Existe um entendimento grande em relação às contrapartidas que temos defendido – comentou Borges, sobre o encontro com o grupo interministerial formado por representantes da Casa Civil e dos ministérios Justiça, Fazenda, Previdência Social e Esporte.

A ideia do movimento de atletas é que os clubes que aderirem à Lei de Responsabilidade Fiscal sejam fiscalizados e punidos por um comitê. O órgão seria formado por cinco membros que representariam as seguintes áreas: atletas, treinadores, clubes, CBF e um do órgão de contabilidade federal. A atuação do comitê entraria em vigor a partir de 2016.



MaisRecentes

Volta Redonda é o único clube do RJ a não publicar balancete. Dirigente promete números nesta quinta-feira



Continue Lendo

Ricardo Rocha lança canal de análises e entrevistas no YouTube



Continue Lendo

Dirigente tem a missão de transformar a Inter de Limeira em clube-empresa



Continue Lendo