Clubes do RJ e SP pagam R$ 6,5 milhões de taxa às federações no Brasileirão



 

Clubes repassam 5% da arrecadação total dos jogos para as federações estaduais

Os oito maiores clubes dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo pagaram, juntos, um total de R$ 6,5 milhões às federações estaduais em jogos do Campeonato Brasileiro 2014. No torneio, os clubes mandantes destinam 5% da arrecadação com a partida à entidade estadual. Os paulistas destinaram R$ 3,5 milhões, tendo o Corinthians como o maior pagador com R$ 1,7 milhão. Já entre os cariocas, que somaram R$ 3 milhões, Flamengo e Botafogo repassaram R$ 1,1 milhão cada à federação do Rio de Janeiro.

Vai pra onde?
Segundo a Federação Paulista de Futebol (FPF), a taxa sobre a arrecadação dos jogos repassada pelos clubes é uma norma estabelecida pela CBF e é destinada para os diversos trabalhos que a entidade realiza em prol dos times paulistas, entre eles o realizado na Escola de Arbitragem. Já a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) não respondeu a solicitação da coluna sobre o destino da verba obtida dos clubes.

Mais e menos
Curiosamente, o Botafogo é o time que repassou tanto o maior como também o menor valor à Ferj durante o Campeonato Brasileiro do ano passado. Em jogo contra o Flamengo, disputado na Arena Amazônia, o clube carioca pagou R$ 411,8 mil de taxa à entidade. Já em partida contra o Coritiba, disputado em Volta Redonda, o Botafogo repassou menos de R$ 800 à federação.

Torcida de elite
Mesmo jogando a Série B do Campeonato Brasileiro, o Vasco repassou á Ferj um total de R$ 305,7 mil. O clube não teve repasse nas três primeiras partidas do torneio – quando jogou de portões fechados – por conta da punição pela briga na última rodada do Brasileiro de 2013. Mesmo assim, o valor supera o valor pago pelo Santos, que atuando na elite do futebol pagou “apenas” R$ 292,7 mil.

Corpo a corpo
Ciente da força da oposição após os pré-candidatos Antônio Roque Citadini e Paulo Garcia se unirem em uma única chapa na briga pela presidência do Corinthians, Andrés Sanchez passou o fim de semana no Parque São Jorge fazendo campanha para o candidato da situação, Roberto de Andrade. No sábado, 17, Sanchez passou o dia na piscina do clube pedindo votos para o representante de seu grupo político.

Casa de eventos
Aberta durante os jogos da Copa-2014, a Bud Mansion, casa utilizada pela Budweiser para fazer marketing de relacionamento através da transmissão de eventos esportivos, será reaberta no sábado, dia 31 de janeiro, quando ocorre a volta do lutador Anderson Silva ao octógono do UFC. No dia seguinte, 1 de fevereiro, será a vez da transmissão do Super Bowl entre New England Patriots e Seatle Seahawks.

Para poucos
A nova Bud Mansion está situada no bairro do Morumbi, em São Paulo. A casa é o mesmo local utilizado como base para o TUF Brasil, que é patrocinado pela marca de cerveja da Ambev. No próximo evento, a Bud Mansion receberá principalmente convidados. Uma quantidade limitada de ingressos será disponibilizada ao público em geral.

Contrato

O Atlético-PR pode ser o 1 clube a ser beneficiado com o novo regulamento de transferências publicado pela CBF, na semana passada.

O clube paranaense pretende prorrogar por mais dois anos o contrato que têm com o meia-atacante Nathan, que defende atualmente a Seleção Brasileira no Sul-Americano sub-20.

Desde o início do ano passado, o Atlético-PR tem procurado os representantes do atleta para estender o acordo de três para cinco anos. Mas nada foi acertado.

Uma ação corre na Justiça em relação ao caso, na qual o clube diz ter o direito de mais dois anos de contrato com o atleta.

Com a nova medida da CBF, que passou de três para cinco anos o limite de contrato com atletas de 16 anos, o Atlético-PR pode se beneficiar.

A decisão do caso deve ocorrer em março.

De Letra

“Qualquer clássico preocupa e a cobrança de ingressos já está prevista no regulamento”

Coronel Marcos Marinho, chefe de segurança da FPF, sobre a entidade cobrar entradas caso ocorra o clássico entre Corinthians e São Paulo na semifinal da Copinha.



  • Jefferson Telles

    “…Já a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) não respondeu a solicitação da coluna sobre o destino da verba obtida dos clubes…” Para onde mais seria então, bobinho…?

  • Alef Finete

    É que a pergunta é tão absurda que se eu fosse da FERJ não responderia também. Campeonatos da segunda divisão e categorias de base são feitos como, de luz?

MaisRecentes

Diretor da Chape compara permanência na Série A a título da Champions League



Continue Lendo

Botafogo sai da lista de clubes formadores da CBF. Coritiba retorna



Continue Lendo

Entidades buscam nome para preencher vaga no Tribunal Antidopagem



Continue Lendo