Por investidores, ligas europeias entrarão com ação judicial contra a Fifa



Fifa banirá a participação de terceiros (empresários e empresas) nos direitos econômicos dos jogadores de futebol a partir de maio

As ligas espanhola e portuguesa de futebol entrarão nos próximos dias com uma ação na Justiça Comum Europeia contra a circular da Fifa que bane a participação de investidores nos direitos econômicos de atletas. À frente do caso está o advogado espanhol Juan Crespo Pérez, que defende uma regulamentação e não a proibição dos investimentos de terceiros em atletas. Em crise financeira, Espanha e Portugal seriam os países mais prejudicados com a medida frente a potências como Inglaterra e Alemanha.  E como a ação é de autoria das ligas de futebol, as Federações espanhola e portuguesa de futebol – e consequentemente as seleções nacionais – não podem ser punidas pela entidade máxima do futebol.

Base legal
Em entrevista ao L!, no final do ano passado, Pérez diz que investimentos feitos por terceiros em jogadores de futebol não difere dos valores recebidos com patrocínio pelos clubes. “Estão decidindo pelo banimento antes de saber se tem base legal. Eu quero ver armas baseadas na lei, não está conversa de fairplay. No final, é melhor controlar do que proibir”, disse ele. A medida da Fifa passa a vigorar a partir de maio.

Em debate
O veto da Fifa tem tirado o sono de dirigentes brasileiros, que têm muitas dúvidas sobre o impacto que a medida pode causar no futebol. Tanto que representantes dos principais clubes do país estarão reunidos na próxima sexta-feira, dia 23, em Florianópolis, para debater a questão. A iniciativa partiu dos próprios clubes.

Sem retorno
Por outro lado, investidores que têm participação nos direitos econômicos de jogadores têm buscado escritórios de advocacia para tentar minimizar os prejuízos que a medida da Fifa causará em suas atuações. A grande preocupação dos empresários é em relação à renovação do contrato entre atleta e clube. Com o acordo estendido, a tendência é que percam toda a porcentagem a que teriam direito sobre o atleta após o prazo do contrato anterior.

Atraso
A expectativa do Conselho Fiscal do Vasco é iniciar a avaliação dos documentos referentes ao ano passado apenas em fevereiro. Até lá, o órgão realizará ao menos mais uma reunião para finalizar a análise de contratos e pendências de 2013, o que deve ocorrer na próxima semana. “Os trabalhos sobre 2014 devem correr com mais facilidade pois já estão bem alinhados”, comenta Diego Carvalho, VP do Conselho vascaíno.

Sustentável
Uma das polêmicas para a eleição do Corinthians no próximo dia 7 é em relação ao modelo em que o pleito será realizado, se através de urna eletrônica ou cédulas. O Estatuto do clube prevê a utilização de aparelhos para a computar os votos dos sócios. Entretanto, quatro associados entraram na Justiça para tentar impedir a utilização das urnas eletrônicas na eleição. Advogados, eles são ligados a uma das chapas de oposição.

Pelo sorriso
Ao oficializar sua candidatura a presidente do Corinthians na tarde de ontem, Antônio Roque Citadini, alterou a posição dos vice-presidentes da chapa. Diferente do anunciado em coletiva na véspera, Emerson Piovesan será o 1 vice enquanto que Osmar Stábile o 2.

Economia

Advogado do fundo que administra a Arena Corinthians – composto por clube, Odebrecht e Caixa – Ivandro Sanchez diz que a obra que retirou os dutos da Petrobras do terreno do estádio já constava em um projeto antigo da Prefeitura.

O plano previa mudanças em todo o sistema viário da região e já incluía o remanejamento da tubulação que passa embaixo do terreno onde está a arena.

Mas por conta da construção da arena, essa mudança foi antecipada e o Corinthians se responsabilizou pelos custos da obra.

Na última quinta, o MP-SP iniciou um inquérito para apurar irregularidades na obra, e se há ligação com a Operação Lava Jato. Sanchez, entretanto, refuta qualquer problema.

– A Petrobras até economizou pois era ela quem pagaria a obra – diz.

De Letra

“O Brasil precisa tomar vergonha na cara e investir no esporte”

Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, ao cobrar mais investimentos do governo federal para o esporte de alto rendimento.



MaisRecentes

Del Nero estava em reunião quando soube de suspensão. E não pode pisar na CBF



Continue Lendo

Ideia de biometria em setor de organizadas não entra em regulamento da CBF



Continue Lendo

Licitação dará destino a direitos da Copa América que eram da Datisa



Continue Lendo