Dilma tem até o dia 19 para decidir sobre lei que renegocia as dívidas dos clubes de futebol



Próximo dia 19 é a data limite para a presidente Dilma Rousseff sancionar ou vetar a lei que renegocia as dívidas dos clubes

A presidente Dilma tem até o próximo dia 19 para assinar ou não a renegociação das dívidas dos clubes sem contrapartidas. A medida que foi incluída na calada da noite na Medida Provisória 656, que trata de incentivos fiscais na importação de peças para aerogeradores.

A jogada, de autoria do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), vice do Atlético-GO, ocorreu às vésperas do recesso parlamentar de fim de ano.

A data para a decisão de Dilma deve-se aos 15 dias úteis após a Medida Provisória ser aprovada pelo Congresso. Caso a presidente deixe de tomar uma decisão sobre a medida, a lei passa a vigorar automaticamente.

Agora, restam quatro caminhos para a presidente Dilma: sancionar a lei; sanciona a lei mas edita uma Medida Provisória com a contrapartida dos clubes; veta totalmente a lei e edita uma Medida Provisória sobre toda a renegociação das dívidas dos clubes; veta a lei e orienta a base do governo a retomar a votação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE) no Congresso.

Caso a presidente Dilma decida pela retomada das discussões da medida no Congresso, o grande impasse em relação ao conteúdo da LRFE é em relação à taxa de juros para o parcelamento da dívida fiscal dos clubes em 240 meses. Entretanto, a bancada da bola tinha avançado as negociações com clubes e o Bom Senso FC para que a taxa adotada seja a Selic.



  • Sérgio

    Não beneficia time nenhum, apenas tira a responsabilidade de pagar o que deve, além de da oportunidades de fazer ainda mais dividas.

  • Depois de ferrar os trabalhadores provavelmente vai ajudar os clubes ricos , ela é sem dúvida um Robin hood dos ricos.

  • José Henrique

    O tal de “bom senso” não teve a dignidade de colocar o dedo no “tumor” do futebol, que são os tais “donos dos direitos econômicos”, e que agora a FIFA resolveu extirpar os mesmos do “corpo” doente dos clubes.
    Alex, Paulo André, e companhia ou estão jogando pra torcida, ou pra seus empresários e interessados em quebrar de vez os falidos times do Brasil.
    Se fossem corretos, pleiteariam que os tributos que os clubes pagam sobre “seus” ? Jogadores, fossem repartidos proporcionalmente com os direitos dos tais “donos dos direitos “.
    Esses jogadores que eu admirava, depois dessa, me decepcionaram.

MaisRecentes

Um Tite x Carille ajudará famílias das vítimas do acidente da Chapecoense



Continue Lendo

Na situação, também há simpatia por união geral e candidato único no Flamengo



Continue Lendo

Grêmio tem reunião nesta sexta na Conmebol: arbitragem em pauta



Continue Lendo