Dilma tem até o dia 19 para decidir sobre lei que renegocia as dívidas dos clubes de futebol



Próximo dia 19 é a data limite para a presidente Dilma Rousseff sancionar ou vetar a lei que renegocia as dívidas dos clubes

A presidente Dilma tem até o próximo dia 19 para assinar ou não a renegociação das dívidas dos clubes sem contrapartidas. A medida que foi incluída na calada da noite na Medida Provisória 656, que trata de incentivos fiscais na importação de peças para aerogeradores.

A jogada, de autoria do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), vice do Atlético-GO, ocorreu às vésperas do recesso parlamentar de fim de ano.

A data para a decisão de Dilma deve-se aos 15 dias úteis após a Medida Provisória ser aprovada pelo Congresso. Caso a presidente deixe de tomar uma decisão sobre a medida, a lei passa a vigorar automaticamente.

Agora, restam quatro caminhos para a presidente Dilma: sancionar a lei; sanciona a lei mas edita uma Medida Provisória com a contrapartida dos clubes; veta totalmente a lei e edita uma Medida Provisória sobre toda a renegociação das dívidas dos clubes; veta a lei e orienta a base do governo a retomar a votação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE) no Congresso.

Caso a presidente Dilma decida pela retomada das discussões da medida no Congresso, o grande impasse em relação ao conteúdo da LRFE é em relação à taxa de juros para o parcelamento da dívida fiscal dos clubes em 240 meses. Entretanto, a bancada da bola tinha avançado as negociações com clubes e o Bom Senso FC para que a taxa adotada seja a Selic.



  • Sérgio

    Não beneficia time nenhum, apenas tira a responsabilidade de pagar o que deve, além de da oportunidades de fazer ainda mais dividas.

  • Depois de ferrar os trabalhadores provavelmente vai ajudar os clubes ricos , ela é sem dúvida um Robin hood dos ricos.

  • José Henrique

    O tal de “bom senso” não teve a dignidade de colocar o dedo no “tumor” do futebol, que são os tais “donos dos direitos econômicos”, e que agora a FIFA resolveu extirpar os mesmos do “corpo” doente dos clubes.
    Alex, Paulo André, e companhia ou estão jogando pra torcida, ou pra seus empresários e interessados em quebrar de vez os falidos times do Brasil.
    Se fossem corretos, pleiteariam que os tributos que os clubes pagam sobre “seus” ? Jogadores, fossem repartidos proporcionalmente com os direitos dos tais “donos dos direitos “.
    Esses jogadores que eu admirava, depois dessa, me decepcionaram.

MaisRecentes

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo

Empresa explica saída do Brasil do Tour da Taça da Copa do Mundo



Continue Lendo