Até abril, Vasco tem R$ 35 mi para pagar



Já nos primeiros quatro meses de sua volta ao Vasco, o presidente Eurico Miranda terá que acertar contas que somam R$ 35 milhões. O rombo financeiro deve-se principalmente a vencimentos bancários e impostos atrasados, além dos gastos com manutenção do clube. Por conta da grave situação financeira do Vasco, dois conselheiros já recusaram assumir a pasta de Finanças. O nome do novo responsável pela área era aguardado para ser anunciado na posse de Eurico Miranda, ocorrida ontem à noite.
Contra o tempo
Para tentar amenizar sua dívida, o Vasco tem até o dia 31 para quitar mais de R$ 4 milhões em impostos para renovar a certidão negativa de débito (CND). O acordo permitiria uma possível renovação de patrocínio com a Caixa no valor de R$ 15 milhões ao ano. Há alguns meses, o clube conseguiu um empréstimo para obter a CND, mas a verba foi utilizada para pagar os salários dos jogadores.

Racha
Derrotada na eleição vascaína, a chapa de oposição Sempre Vasco, que teve Julio Brant como candidato, decidirá hoje se entrará ou não com uma ação judicial para anular o pleito, vencido por Eurico Miranda. A ação seria motivada por possíveis fraudes ocorridas na disputa vascaína. Entretanto, parte dos oposicionistas acredita que entrar com uma ação neste momento seria perda de tempo.

Proposta completa
O marketing do São Paulo ainda não dá como certa a escolha da Under Armour para fornecer o material esportivo ao clube em 2015. Os norte-americanos estariam à frente dos rivais não só pela proposta financeira acima da concorrência mas também pelo projeto apresentado, que envolve a exclusividade do fornecimento no Brasil e a internacionalização da marca São Paulo.

Tem dono
Sobre o risco de desapropriação da Arena Corinthians apontado em laudo de auditoria feito em 2013, Ivandro Sanchez, advogado do fundo que administra o estádio, refuta qualquer possibilidade de desapropriação, já que o local pertence ao Corinthians até 2078. E que a própria Prefeitura cedeu o terreno ao clube para desenvolver a região como tem ocorrido.

Efeito Liberta
A conquista de uma vaga na Libertadores de 2015 já teve impacto nas adesões ao programa de sócio-torcedor do Corinthians. Desde a confirmação da participação, no último domingo, cerca de 1.500 torcedores aderiram ao programa. Na quarta posição do ranking do Movimento por um Futebol Melhor, com 64.770 sócios, o Timão se aproxima do Cruzeiro, que tem 66.929 associados.

Briga no escuro
Após ter arrematado o estádio Brinco de Ouro, do Guarani, a empresa Magnum já entrou em atrito com dirigentes do clube. O presidente do conselho, Paulo Souza, saiu do cargo após discutir com representantes da empresa. E na confusão, o clube, que espera o aporte financeiro da empresa, acabou não pagando a conta de luz e passou o último fim de semana no escuro. A situação já foi normalizada.

YOKO ONO?

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, vive uma fase de calmaria política que não se via desde o racha com Juvenal Juvêncio.

Porém, há um ponto fraco no presidente: Cinira Maturana, empresária com quem Aidar mantém um relacionamento há seis meses e que é figura fácil nos corredores do Morumbi.
Segundo diretores do clube, ela o ajuda em negociações e na prospecção de novos patrocinadores. Mas nada de maneira oficial, como já foi insinuado por opositores.

No entanto, conselheiros veem a parceria com desconfiança. Dizem que o caso mostra uma certa “fraqueza emocional” de Aidar, que já teria surgido no racha com Juvenal.

Com maioria no Conselho e bons resultados em campo, a única ameaça ao cartola no São Paulo pode não vir de um inimigo.

DE LETRA

“As Federações e a CBF estão ricas. E os clubes, desesperados”

Odílio Rodrigues, presidente do Santos, em discurso de fechamento de sua gestão no clube da Vila Belmiro.



MaisRecentes

Oposição se enfurece com Bandeira de Mello e pode pedir a sua exclusão do Flamengo



Continue Lendo

Luiz Felipe Scolari pode ter contrato estendido até 2022 e depois virar manager



Continue Lendo

CBF deve se reunir com clubes para falar de manifestações políticas



Continue Lendo