Refis da Copa põe em risco CNDs de 2015 e pressão por renegociação das dívidas deve aumentar



Os clubes que aderiram ao programa de refinanciamento federal, conhecido como Refis da Copa, estão em dificuldade para ficar em dia com o fisco no exercício de 2014, já que o programa só refinancia os débitos até 2013 e exige o pagamento de 20% do montante em cinco parcelas. Nesse cenário, alguns clubes podem não conseguir as Certidões Negativas de Débito (CNDs) para 2015, documento necessário para receberem patrocínio de empresas públicas, como a Caixa Econômica Federal, que estampa sete camisas na Série A.

Um dos clubes patrocinados pela Caixa, o Vasco põe todas as suas fichas na aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte para resolver a crise financeira do clube. Semana que vem, o presidente Roberto Dinamite e outros membros da diretoria devem ir a Brasília para pedirem ao presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), prioridade da votação da LRFE.

Sem iniciativa
Relator do projeto de lei, o deputado Otávio Leite insiste que o Governo Federal deve se pronunciar sobre o assunto. “O Bom Senso já se reuniu com o núcleo duro do governo quatro vezes e ninguém disse qual é a posição do Planalto”, afirma Leite. Segundo o parlamentar, o líder do Governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS) já se comprometeu a trazer o debate para o Plenário, mas não agiu nesse sentido até o momento.

Falha na votação
O sistema de votação da CBF para o Craque Brasileirão 2014 tem apresentado problemas. Um dos jornalistas convidados a participar do prêmio iniciou o processo de votação e ao inserir seus dados pessoais no cadastro foi avisado que sua escolha já havia sido feita. Em sua 10 edição, o evento premia os melhores atletas do torneio, além do atleta revelação, artilheiro e o melhor técnico.

Nova norma
A nova regulamentação para os agentes de atletas da Fifa que entrará em vigor em 2015 será tema de seminário da Associação Sul-Americana de Advogados de Futebol e a OAB-SP. O assunto é polêmico pois abrirá espaço para qualquer pessoa intermediar negociações entre clubes e jogadores. Marcado para o próximo dia 25, em São Paulo, o evento terá a participação do ex-jogador Marcelo Djian, hoje agente de futebol, Aníbal Rouxinol, gerente executivo do Botafogo, e Rinaldo Martorelli, presidente da Fenapaf.

Sem punição
Para o advogado Eduardo Carlezzo, especialista em direito esportivo, a nova regulamentação é bem mais simples tendo apenas dez artigos contra 40 do documento que vigora atualmente. “Esse novo regulamento não abrange punições e tudo ficará à cargo das federações”, comenta Carlezzo.

Embaixadinhas
O ex-jogador Raí irá liderar o corpo de jurados da final da 5 edição do Red Bull Street Style, disputa que considera a habilidade dos competidores com a bola. O evento ocorre neste fim de semana em Salvador e esta é a segunda vez que o Brasil recebe a final do torneio. O evento reunirá 51 atletas de 42 países e três brasileiros brigarão pelo título.

DE LETRA

“Bom Senso e cartolas vão acampar no Congresso se não houver avanços”

Otávio Leite, deputado federal e relator da LRFE, sobre as negociações para a votação da lei de dívidas dos clubes com a União.

 

 



  • flavio

    GOL DA ALEMANHA!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • José Henrique

    A sensação que o bom senso passa, é a de que estão mais é colaborando com empresários de futebol, do que com a sobrevivência dos clubes, aliás muito pelo contrário, suas sugestões sufocam ainda mais os clubes brasileiros.

MaisRecentes

Presidente eleito da Federação Mineira vê clubes de BH no mesmo nível de SP e RJ



Continue Lendo

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo