Clubes não estão fugindo da responsabilidade, diz Ministério do Esporte



O Secretário Nacional do Futebol, Toninho Nascimento, reafirmou à De Prima que o Ministério do Esporte não trabalha com a possibilidade de uma Lei de Responsabilidade Fiscal que não tenha contrapartidas claras por parte dos clubes, federações e CBF.

– O compromisso do Governo Federal e do Ministério do Esporte é moralizar a gestão do futebol. Não existe renegociação de dívida sem contrapartidas de quem recebe esse benefício – disse Nascimento ao blog.

A resposta veio após a De Prima revelar que os clubes haviam retirado de sua proposta final a mudança de artigo do Estatuto do Torcedor que proíbe punicões técnicas que não sejam baseadas somente em critérios esportivos. A “brecha” jurídica permitiria que associacões que fossem punidas com base na LRFE recorressem da decisão na Justiça Comum.

Segundo Nascimento, a proposta final dos clubes que chegou ao Ministério do Esporte nesta sexta-feira prevê, sim, a mudança do Estatuto do Torcedor. O secretario concorda que a ausência desse dispositivo colocaria em xeque a LRFE.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo