Clubes não estão fugindo da responsabilidade, diz Ministério do Esporte



O Secretário Nacional do Futebol, Toninho Nascimento, reafirmou à De Prima que o Ministério do Esporte não trabalha com a possibilidade de uma Lei de Responsabilidade Fiscal que não tenha contrapartidas claras por parte dos clubes, federações e CBF.

– O compromisso do Governo Federal e do Ministério do Esporte é moralizar a gestão do futebol. Não existe renegociação de dívida sem contrapartidas de quem recebe esse benefício – disse Nascimento ao blog.

A resposta veio após a De Prima revelar que os clubes haviam retirado de sua proposta final a mudança de artigo do Estatuto do Torcedor que proíbe punicões técnicas que não sejam baseadas somente em critérios esportivos. A “brecha” jurídica permitiria que associacões que fossem punidas com base na LRFE recorressem da decisão na Justiça Comum.

Segundo Nascimento, a proposta final dos clubes que chegou ao Ministério do Esporte nesta sexta-feira prevê, sim, a mudança do Estatuto do Torcedor. O secretario concorda que a ausência desse dispositivo colocaria em xeque a LRFE.



MaisRecentes

Conmebol anunciará veredito do Flamengo na segunda semana de janeiro



Continue Lendo

Presidência da Primeira Liga fica com o América-MG; vice é do Paraná



Continue Lendo

Botafogo recupera certificado de clube formador da CBF



Continue Lendo