Consultoria já salvou R$ 4 mi no São Paulo



Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, trouxe consultoria para cortar gastos no clube

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, trouxe consultoria para cortar gastos no clube

Desde que a consultoria Áquila entrou no São Paulo, em agosto deste ano, o clube do Morumbi já economizou despesas da ordem de R$ 4 milhões. A informação é oficial, do presidente Carlos Miguel Aidar, que deve receber um relatório completo do Conselho Fiscal sobre a atuação da consultoria até o fim deste mês. A economia amenizará a crise financeira pela qual passa o São Paulo. Em setembro, esta coluna adiantou que o clube já trabalhava com um déficit de R$ 30 milhões nas finanças deste ano.

Desistiu
O presidente Carlos Miguel Aidar desmentiu a informação de que apresentaria trocas na diretoria na reunião do Conselho Deliberativo, na próxima segunda-feira, 13. No entanto, conselheiros ouvidos pela coluna dizem que houve conversas neste sentido com o presidente, mas que, há cerca de duas semanas, não houve mais sinalização por parte de Aidar. Agora, julgam que o dirigente desistiu da ideia.

Atrasos
A Comissão de Inquérito e Sindicância do Santos só deve entregar o parecer das investigações envolvendo as carteiras-fantasmas para o presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Schiff, por volta do dia 20. O resultado das duas sindicâncias deve ter efeitos na eleição do clube, já que elas envolvem troca de acusações entre a diretoria e o grupo de oposição Terceira Via Santista.

Sócio-torcedor
O Cruzeiro vai lançar mais uma categoria de sócio-torcedor na próxima semana. Denominada Nação Azul, ela custará apenas R$ 12 por mês, mas o associado não terá descontos nos ingressos, tendo direito somente aos descontos concedidos pelo Movimento por um Futebol Melhor. No total, os torcedores do clube já economizaram R$ 2 milhões através do programa de sócio-torcedor.

À VENDA?

Caso vença as eleições, o candidato de oposição Wlademir Pescarmona contará com um comitê empresarial formado por sete executivos de grandes empresas na gestão do clube. Entre eles está Marcos Arnaldo Silva, ex-presidente da Repsol.

Durante o almoço de apresentação do grupo em um restaurante na capital paulista, ocorrido ontem, Silva comentou a fase ruim pela qual passa o Palmeiras e citou exemplos do exterior que podem servir de referência para o clube dar a volta por cima.

Entre os “times que renasceram das cinzas”, o empresário citou o PSG. Entretanto, o clube francês se tornou um dos mais ricos do mundo depois de ser comprado por um fundo de investimento do Qatar.

Será mesmo que o PSG será exemplo em uma possível gestão de Pescarmona?

DE LETRA

“É melhor o clube com esse silêncio”

Ataide Gil Guerreiro, VP de futebol do São Paulo, sobre a calmaria no clube após um período de brigas políticas.

 



  • rdish

    A categoria Nação Azul já existe desde abril…

  • SE O PESCARMONA FOR ELEITO O PALMEIRAS VAI QUEBRAR, ELE NÃO TEM Á MINIMA CONDIÇOES DE SER PRESIDENTE DO PALMEIRAS, SE SEU VICE BELUZZO NÃO TEVE IMAGINA O PESCARMONA, O PAULO NOBRE É O CARA CERTO, ESTÁ PAGANDO O QUE O SR BELUZZO DEIXOU DE DIVIDA (QUEBROU O CLUBE)

    SE O PAULO NÃO FOSSE O PRESIDENTE, O CLUBE JÁ ESTARIA NAS RUINAS

MaisRecentes

Vasco convive com atrasos salariais, mas mantém ascensão no Brasileiro



Continue Lendo

Além da Copa Intercontinental, Fifa vai discutir legado da Copa-2014



Continue Lendo

Bandeira vê ‘afinação’ como novo vice de futebol do Flamengo



Continue Lendo