Falta de consenso e de quórum tiram reforma do Morumbi da agenda de Aidar



Distância das arquibancadas para o campo é visto como problema para o presidente Carlos Miguel Aidar.

Há poucos meses, a reforma do Morumbi era o principal assunto nos corredores do Morumbi e foi o principal ator do pleito que elegeu Carlos Miguel Aidar presidente. Hoje, a modernização do estádio Cícero Pompeu de Toledo saiu da agenda do presidente Carlos Miguel Aidar e não estará na pauta da próxima reunião do Conselho Deliberativo, que acontecerá no próximo dia 13.

O desejo do mandatário é trazer o torcedor para mais perto do campo.No entanto, não há consenso sobre como fazer a adequação: se rebaixando ou elevando o gramado. Além disso, a decisão depende de uma negociação com a Prefeitura e o Governo do Estado de São Paulo, já que um córrego passa por de baixo do campo tricolor e terá de ser desviado.

Outro fator que levou o presidente tricolor a deixar o projeto de reforma na geladeira foi o racha político com o ex-aliado Juvenal Juvêncio, que tornou a governabilidade de Aidar no clube ainda mais díficil. E para que a reforma do estádio saia do papel, é necessário que o Conselho Deliberativo vote com um quórum de 75% dos conselheiros. Essa determinação, que já foi um problema quando a gestão de Juvêncio quis aprovar a reforma em um Conselho ‘controlado’, deve ser tarefa impossível para Carlos Miguel Aidar, ao menos enquanto durar o atual cenário político do clube.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo