Dirigente descarta de greve da arbitragem mas luta por profissionalização



Árbitros reclamaram de falta de respeito por parte de jogadores e técnicos, mas já descartam a possibilidade de greve.

O presidente da Associação Nacional de Árbitros de Futebol, Marcos Martins, descartou qualquer possibilidade de greve da arbitragem brasileira. Explica que já atingiu o objetivo da possível paralisação: garantir mais espaço para a categoria na discussão do futebol. Tanto é que Martins esteve ontem no Rio de Janeiro para participar da mesa do primeiro Debate do Futebol Brasileiro, ao lado de federações, técnicos, atletas e executivos do futebol, e foi recebido pela comissão de arbitragem da CBF.

Amigo pessoal do diretor de arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, com quem trabalhou na ANAF em 2005, Marcos Martins foi quem propôs a ideia de um encontro entre árbitros, jogadores, treinadores e imprensa que acontecerá nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro. O presidente da ANAF ainda aguarda resposta do STJD para se reunir com os procuradores após o evento na sede da CBF.

No entanto, a luta da ANAF, segundo Martins, é pela aplicação da lei 12.867/2013, que regulou a profissão de árbitro de futebol. Pela lei, os árbitros devem ter contrato CLT com a CBF, mas Martins afirma que o atual ‘contrato’ entre as partes é quase ‘escravidão’. Há casos de árbitros que pagaram viagens do seu próprio bolso e não receberam a remuneração após a partida – o que deveria ser feito antes do jogo, segundo a Lei Pelé.

Perseguida
O apoio dos grupos santistas de oposição Re9 (Renove) e Orgulho de Ser Santos ao candidato Modesto Roma, indicação do ex-presidente Marcelo Teixeira, é o fim de uma guerra pelo apoio de ‘nanicos’ do clube. A Re9 foi alvo de José Carlos Peres e até do situacionista Nabil Khaznadar. Esses grupos ganharam importância desde que os sócios passaram a eleger diretamente o presidente.

Enxugou
Apesar da receita em Publicidade dos 23 maiores times de futebol do país ter aumentado de R$ 308 milhões, em 2010, para R$ 471 milhões, em 2013, uma alta de 53%, o número de patrocinadores no esporte diminuiu. Em 2009, 18 empresas investiam nos principais times de futebol, número que caiu para apenas 10 companhias este ano. Os dados são de uma análise financeira dos clubes feita pelo Itaú BBA.

Calote
O Coritiba aguarda uma decisão da Fifa sobre o recebimento de no mínimo 65 mil euros ( R$ 200 mil) junto ao Genoa, da Itália, referentes à negociação envolvendo o lateral Rafinha. O valor, que terá correção de 5% ao ano, corresponde à contratação do jogador feita pelo time italiano junto ao Schalke 04, da Alemanha, realizada em 2010, onde o Coxa tem direito ao valor por ser o clube formador do atleta.

Joia da casa
O cargo de diretor das categorias de base do São Paulo, hoje interinamente ocupado por Júlio Martins, será de um conselheiro tricolor, e não de algum profissional de fora do clube, afirma o vice-presidente de Futebol, Ataíde Gil Guerreiro. A troca acontece após a saída de Juvenal Juvêncio da direção das categorias de base do São Paulo.

DE LETRA

“Quatro jogos sem vencer não é normal”

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, sobre os maus resultados que afastaram o time do título do Brasileirão.



MaisRecentes

Promotor vê cessão de ingressos como incentivadora da violência das torcidas



Continue Lendo

Del Nero estava em reunião quando soube de suspensão. E não pode pisar na CBF



Continue Lendo

Ideia de biometria em setor de organizadas não entra em regulamento da CBF



Continue Lendo