Aidar arquitetou com oposição ‘racha’ com Juvenal



Juvenal Juvêncio e Carlos Miguel Aidar nas eleições de abril de 2014, ainda posando como aliados políticos

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, planejou com cuidado o racha com seu histórico amigo e aliado Juvenal Juvêncio, que foi seu sucessor em 1988 e passou-lhe a presidência neste ano. Segundo o conselheiro Jayme Franco, Aidar lhe encomendou um levantamento da situação financeira. Com esse documento, deu entrevista à Folha de S.Paulo e detonou a gestão do antigo aliado. Agora, a oposição articula, a partir da iniciativa do próprio Aidar, um novo grupo político para apoia-lo no Conselho.

Segunda chance
Para acalmar o vice de Futebol, Alexandre Wrobel, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira, lhe disse que o aumento do preço dos ingressos só valerá para o jogo diante do Corinthians. Os preços voltarão ao patamar anterior a partir do jogo contra o Fluminense e a diretoria promete não desautorizar mais Wrobel em público. O vice de Futebol não decidiu ainda se vai deixar o clube, mas deve ficar no cargo.

Compromisso
O senador Aécio Neves, candidato a presidente pelo PSDB e terceiro colocado nas pesquisas, decidiu apoiar o projeto da Lei de Responsabilidade Fiscal para o Esporte, de relatoria do deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ). O projeto que trata do refinanciamento da dívida dos clubes com contrapartida está aguardando votação na Câmara, o que só deve acontecer após a eleição de outubro.

Fogo amigo
A declaração do diretor de Marketing do Corinthians, Izael Sinem , de que o clube é o clube do “povo, não do povão” desagradou até a diretores e conselheiros de situação do clube. Sinem é criticado por não conseguir patrocínio de ombro e calção, o que aprofunda uma situação financeira nada confortável. No número de sócios torcedores, o clube foi ultrapassado pelo Flamengo.

Apoio alvinegro
Paulo Garcia, por meio da Spiral, uma das empresas do grupo Kalunga, que pertence à sua família, doou R$ 290 mil à campanha de Andrés Sanchez a deputado federal. O valor foi aportado em 67 doações, grande parte doada em material gráfico de campanha. As doações correspondem a 55% do arrecadado pelo ex-presidente corintiano. Sanchez e Garcia são rivais políticos no clube, mas amigos fora dele.

Negociação

A Under Armour segue negociando com clubes brasileiros para ingressar no mercado nacional. Embora não revele nomes, a marca diz que quer assinar acordos apenas com equipes de grande apelo. As parcerias passariam a valer, no mínimo, em 2015, pois a empresa ainda se estrutura para produzir seu material no Brasil para atender a demanda dos clubes.

Recadastramento
A equipe responsável pelo recadastramento de sócios do Vasco é constituída por cinco pessoas escolhidas diretamente pelo presidente Roberto Dinamite. A ideia do grupo, segundo um membro, é começar a conovacação dos sócios a São Januário na próxima semana. A Microtag, empresa que vai auxiliar o clube, está finalizando a tecnologia que será usada no processo.

BOLA DA VEZ

Katherine Fontenele, atual affair do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, trabalha na TV FPF

A suposta nova namorada do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, Katherine Fontenele, 23, trabalha há cerca de 75 dias como apresentadora da TV FPF. Ele se reveza na apresentação com Carolina Galan, 27, ex-affair do dirigente.

As evidências da “troca da guarda” são muitas.

Durante anos, Del Nero não poupou esforços para promover Galan.

Nas primeiras reuniões como membro do comitê executivo da Fifa, em 2012, Del Nero levou Galan e a apresentou aos dirigentes internacionais. Fez o mesmo quando foi à Conmebol, no Paraguai

Mas nos primeiros amistosos da Seleção com Dunga, a enviada da TV FPF aos EUA foi Fontenele, embora Galan continue apresentando o programa.

No Instagram, Fontenele apareceu beijando Del Nero, em Miami.

Ela já foi capa da “Sexy”.

DE LETRA

“Apoiarei, mas não me chame para bater palmas”

Marco Aurélio Cunha, conselheiro do São Paulo, após o ‘racha’ do presidente Aidar com aliados históricos.



  • HUUMMMMM, PAULO NOBRE ESTÁ CORRETO.

  • Eduardo

    A declaração do diretor de Marketing do Corinthians, Izael Sinem , de que o clube é o clube do “povo, não do povão”, é verdadeira e os dirigentes do clube não devem se indignar com isso. a maior prova é quando há jogos da libertadores, é a classe média q compra os ingressos caros pra ver o time. haja visto q o “povão” tem reclamado do preço dos ingressos na nova arena. o “povão” não tem $$$ nem pra comprar leite pros filhos. “povão” são os torcedores do urubú. a maioria ia ao antigo maracanã pra assistir de pé na geral, os popularescos geraldinos.

  • André Carvalho

    Pensei que o Corinthians era o time do “POLVO” (molusco)…

MaisRecentes

Del Nero estava em reunião quando soube de suspensão. E não pode pisar na CBF



Continue Lendo

Ideia de biometria em setor de organizadas não entra em regulamento da CBF



Continue Lendo

Licitação dará destino a direitos da Copa América que eram da Datisa



Continue Lendo