Máscara de Suárez gera controvérsia



Seguranças privados que confiscaram máscaras do uruguaio Suárez na entrada do Maracanã disseram que receberam ordem para fazê-lo. A Fifa diz que não deu ordem para brecá-las. As máscaras, que não têm nenhuma mensagem, foram criadas pelos torcedores uruguaios para protestar contra a suspensão do jogador. A posição dos seguranças não é unânime, no entanto. Em alguns portões, torcedores entraram com grandes lotes de máscaras. Alguns entraram no estádio com dezenas delas. 

Efeito zero
Há um ano, a Fifa mudou a forma de eleger seu comitê disciplinar – seguindo sugestões de sua consultoria. O órgão passou a ser eleito pelo Congresso da Fifa – e não mais pelo comitê executivo – e o mandato foi reduzido de oito para quatro anos. Seus membros não podem fazer parte do comitê executivo nem de outras comissões da Fifa. A maior parte de seus membros são de países irrelevantes no mundo do futebol.

Divergência
Nenhuma autoridade pública de turismo se entende quando o assunto é o número de turistas estrangeiros que estão passando pelo Rio durante a Copa. Depois de o governo federal estimar o número em 90 mil e a Prefeitura falar em 150 mil apenas entre os latino americanos, o governo estadual prevê 400 mil turistas. A PM do Rio avaliou que havia 50 mil argentinos em um jogo no Maracanã.

Bloqueio
Sobrou até para os patrocinadores o reforço no esquema de segurança nos jogos da Copa após a invasão dos chilenos ao Maracanã. As vans que levam os convidados das empresas para os estádios têm passado por duas revistas de policiais para verificar se realmente todos os presentes estão com seus ingressos e credenciais. A iniciativa não foi realizada nas primeiras partidas do Mundial.

Recorde global
A bola na trave de Jara na disputa de pênaltis que classificou o Brasil para as quartas de final da Copa quebrou o recorde de publicações da história do Twitter. Atingiu 388 mil tweets por minuto, ultrapassando a final do último Super Bowl (381 mil). A partida também foi a mais comentada do Mundial, com 16 milhões de tweets.

Fujão
O candidato à presidência Aécio Neves (PSDB-MG) não foi assistir à partida entre Brasil e Chile, ontem, no Mineirão. Mesmo após ter sido confrontado com a possibilidade de ser vaiado, como aconteceu com a presidente Dilma Rousseff na abertura, e dizer que “sempre foi muito aplaudido” em Minas, Neves “trocou” a partida histórica por uma reunião do PSDB em Goiás, segundo sua assessoria de imprensa. 

Itaquera
Se para quem vai aos jogos de metrô é fácil chegar a Itaquera, bairro da Zona Leste de São Paulo, para quem mora na região e usa o carro, a situação é crítica, segundo relato de moradores. Reclamam que, apesar de placas indicarem quais vias serão fechadas em dias de jogos, não há indicação de como se guiar dentro dos desvios, que normalmente levam a ruas menores do bairro e confundem os motoristas.

 

TROCA DA GUARDA



A troca da seleção dos Estados Unidos pela da Costa Rica mudou totalmente o esquema de segurança do hotel  responsável pela hospedagem, no Recife.

Para os EUA, haviam sido destacados 700 PMs, e a badalada Avenida Boa Viagem, em frente ao hotel, ficou bloqueada. Só a praia não foi ocupada.

Para a segunda, de um país muito menos visado pelo terrorismo, o efetivo foi reduzido e a avenida, liberada. E não é só isso.

Um repórter da CNN publicou uma foto com 20 PMs assistindo ontem ao jogo da Seleção Brasileira no bar deste hotel.

Com ironia, disse que os policias responsáveis pela segurança estavam “tirando uma folga” para acompanhar o jogo. 

A assessoria da PM no Recife não respondeu aos chamados do LANCE!.

 

DE LETRA
“Estamos sendo muito cavalheiros. Está na hora de voltarmos ao meu estilo”
 Luiz Felipe Scolari, técnico da Seleção Brasileira



MaisRecentes

Presidente da Federação Paulista lamenta calendário apertado em 2018



Continue Lendo

Brasileiro de Aspirantes terá ajuda de custo e passagens bancadas pela CBF



Continue Lendo

Galiotte e Modesto em clima de paz: ‘É um dos mais éticos’, elogia o santista



Continue Lendo