Dia da eleição do Vasco trava participação de Fernando Horta



A data da eleição presidencial do Vasco, 6 de agosto, é um entrave para que Fernando Horta participe do pleito como cabeça de chapa, numa coalisão que poderia envolver o ex-jogador Edmundo e o grupo É Vasco. Uma pessoa próxima ao presidente da Unidos da Tijuca afirma ser difícil que ele concorra caso o pleito não seja adiado. Os motivos seriam os compromissos profissionais mantidos por Horta em Portugal.

Por essa razão, há uma ala em São Januário pressionando para que as eleições sejam remarcadas para novembro, como prevê o estatuto do Vasco. Uma outra pessoa influente na diretoria do clube chegou a fazer o pedido de adiamento a um membro da Junta Deliberativa, que definiu a data das eleiçõs há pouco mais de duas semanas.

Atualmente, sete chapas já foram protocaladas na secretaria do clube para concorrer à presidência e são encabeçadas por Nelson Rocha (ex-vice de finanças da gestão Roberto Dinamite), Tadeu Correia (vice-presidente do departamento infanto-juvenil), Roberto Monteiro (vice-presidente do Conselho Deliberativo), Márcio Santos (apresentador do programa de rádio Só dá Vasco) e Eurico Miranda (presidente do Conselho de Beneméritos). As chapas É Vasco (Leonardo Gonçalves e Eduardo Machado) e Azul (Otávio Gomes) foram protocoladas, mas podem apoiar Fernando Horta.



MaisRecentes

Clube da China deve fazer proposta ao Palmeiras para contratar Deyverson



Continue Lendo

Bittencourt é o primeiro presidente do Fluminense a apresentar dirigentes da base em Xerém



Continue Lendo

Pela primeira vez, desde que assumiu a CBF, Rogério Caboclo participará de um programa ao vivo



Continue Lendo