Jurídico da Portuguesa suspeita da súmula e desmente delegado da partida



JOINVILLE
Súmula entregue em branco, demora na disponibilização dos registros do jogo e, agora, acusação de que a Portuguesa não entregou nenhum documento oficial judicial ao delegado da Arena Joinville antes de abandonar a partida contra o Joinville, na última sexta-feira, válida pela primeira rodada da Série B do Brasileirão. Todo o imbróglio soa “estranho” para José Luiz Ferreira de Almeida, advogado e vice-presidente jurídico da Lusa.

– Lógico que levamos (cópia da liminar). O documento autenticado, aliás, foi mostrado ao vivo pela televisão. Todo mundo viu. Acho que ele (delegado Laudir Zermiani) se confundiu de partida, só pode ser isso – afirmou José Luiz, à De Prima.

Na súmula (abaixo na íntegra), publicada na última terça-feira, o árbitro Marcos André Gomes da Penha relatou apenas que os jogadores da Portuguesa saíram de campo aos 17 minutos do primeiro tempo e que Rogério Lico, filho do presidente Idílio Lico, informou ao delegado e ao quarto árbitro que a equipe não voltaria ao gramado. Gomes da Penha não citou a existência de uma liminar ou um documento da Justiça.

– Está tudo muito estranho. Vi na imprensa que o presidente da Federação Catarinense (Delfim Peixoto) disse que a súmula foi entregue em branco à CBF. Agora, a súmula aparece cheia de garranchos, mal escrita… Não dá para entender. É estranho – complementou.

Com a confirmação do abandono na súmula, a denúncia preparada pela procuradoria-geral do STJD, que vai até pedir a exclusão da Lusa da Série B até sexta-feira, não precisará ser alterada, já que ela desconsidera o W.O. e segue na linha do abandono.

O QUE DIZ A SÚMULA:

Aos 17 minutos do primeiro tempo, no instante que a partida se encontrava com o placar de 0 a 0, após a marcação de um tiro lateral a favor da equipe do Joinville, subitamente, todos os jogadores da equipe Portuguesa de Desportos abandonaram o campo de jogo, estando a partida paralisada, indo diretamente para o seu respectivo vestiário. Diante dos fatos, solicitei ao 4ª árbitro, o sr. Carlos Eduardo Vieira Areas que se dirigisse ao vestiário da Portuguesa, acompanhado do delegado da partida, sr. Laudir, para que solicitassem o regresso da mencionada equipe ao campo de jogo.

No local, foram recebidos pelo sr. Marcos Rogério Lico, que se identificou como representante da equipe e única pessoa autorizada a falar. O referido dirigente informou-lhes que a equipe da Portuguesa de Desportos não regressaria de forma alguma ao campo de jogo.

Decorridos 30 minutos após a interrupção, ocasionada pelos supramencionados, e com a não (…) de nenhum atleta da Portuguesa de Desportos, informei ao sr. Rafael Diego de Souza, atleta número 4 da equipe do Joinville, que sua equipe poderia se retirar do campo, haja vista que não haveria prosseguimento da partida por por ter a equipe da Portuguesa se recusado a continuar jogando-a.



  • carlosband

    É incrível… TODO MUNDO ESTÁ ERRADO, menos a portuguesa, não é Sr Juca Kfouri?

MaisRecentes

Del Nero promete solução na segunda-feira para transmissão dos jogos da Seleção



Continue Lendo

Presidente da Ferj tira terceira licença em 2017



Continue Lendo

Vasco convive com atrasos salariais, mas mantém ascensão no Brasileiro



Continue Lendo