Flu deve fechar 2013 com déficit pequeno



O Fluminense deve fechar 2013 com menos de R$ 3 milhões de déficit, contra cerca de R$ 13 milhões em 2012 e R$ 40 milhões em 2010. O clube prevê fechar 2014 com o primeiro superávit registrado de sua história – o clube faz balanços auditados há menos de 20 anos. O clube continua a negociar com a Procuradoria da Fazenda Nacional o desbloquio de valores.

Imagine aqui
O priemiê da Nova Zelandia, John Key, quer um referendo para trocar a  bandeira do país. No lugar da atual, que alude ao Reino Unido, defende uma bandeira preta com a folha prateada, símbolo da seleção de rúgbi do país, os “All Blacks”.

Firme na briga
A cúpula do Fluminense nega, apesar do que dizem alguns vice-presidentes, que esteja dividida na oposição à Ferj. Diz que os problemas com Rubens Lopes vêm de anos e o ânimo para se opor ao cartola é ainda maior do que no Flamengo. A discussão sobre um eventual boicote ao Estadual de 2014 não começou.

Ovelha alvinegra
A ausência do Botafogo da aliança de oposição ao comando da Ferj não surpreendeu os outros três grandes clubes do Rio de Janeiro. O presidente Maurício Assumpção foi convidado, mas já se esperava que ele não iria, porque vinha se pondo ao lado do presidente da Ferj, Rubens Lopes.

Pimba na Fifa
A Penalty arrumou uma maneira de tirar uma casquinha da Copa do Mundo. Vai lançar hoje a bola Gorduchinha, o nome que a Fifa recusou apesar de ser o preferido da torcida. A bola será usada na reta final da Copa do Nordeste e em vários estaduais. O ex-locutor Osmar Santos será o padrinho.

Comissão fantoche
Após prometer que haveria membros de várias correntes na comissão que o Conselho Deliberativo do Santos criou para discutir as regras da eleição, o presidente do CD, Paulo Schiff, nomeou cinco conselheiros de situação. O presidente do grupo será Ricardo Campanário, que encabeça a comissão de estatuto.

Novo comando
Um erro do setor de comunicação atrasou a revelação de que Alexandre Ferreira é o novo gerente de marketing do Corinthians. Ferreira passou por Nestlé, Publicis, empresa de relações públicas, e, antes de ir para o Corinthians, trabalhava na 9nine, empresa da qual Ronaldo é executivo.

Laranja-Ouro
O Final Four das Américas não terá verba pública e, assim mesmo deve ser lucrativo. O Flamengo, que o organiza, vai faturar com dois patrocinadores, bilheteria e ações de marketing na quadras. O torneio, com times do Brasil, México e Uruguai, dura um fim de semana e tem custo de R$ 600 mil.

Do apito ao Plimplim
O árbitro Paulo Cesar de Oliveira, do quadro da Fifa, deve parar ao fim do Paulista. Oliveira faz testes para ser comentarista de arbitragem da TV Globo, com promessa de salário bem maior do que em campo. Se for aprovado, deve aposentar o apito. Há uma pequena chance de ser um trabalho só durante a Copa.

DE LETRA
“Ele age como se fosse o dono do futebol”

Plínio Serpa Pinto, vice de relações institucionais do Flamengo, sobre Rubens Lopes, presidente da Ferj.



  • João Maria

    Segundo entendo a Federação é a ” CRIATURA “; os ” CRIADORES ” são os clubes profissionais de futebol. Nada de associações filantrópicas (não obstante caráter social das mesmas). Futebol gera muita riqueza e não pode mais ser tratado de forma amadoristicamente. O que estamos preseniciando é a criatura se virando contra o criador ?

MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo