DIS ameaça cobrar 16 milhões de euros de Neymar



Por Francisco Loureiro

A DIS, que detinha 40% dos direitos econômicos de Neymar – outros 55% pertenciam ao Santos – prepara ações para receber sua parte de receitas envolvidas na transferência de Neymar e que não foram realizadas sob conhecimento da DIS. Além disso, há obrigações contratuais do representante legal de Neymar, Wagner Ribeiro com a DIS que não teriam sido cumpridas por Ribeiro.

Um documento obtido pela De Prima mostra que o Barcelona, em documento timbrado e assinado pelo diretor geral do clube, em 11 de dezembro de 2012, afirmou que não estava negociando com o Santos a transferência de Neymar.

image2014-01-31-151722

O documento não se refere, entretanto, ao que já tinha acontecido: um acordo com o jogador. O próprio pai de Neymar afirmou ter recebido 10 milhões de euros em 2011 para que o clube tivesse preferência na contratação, e mais 30 milhões quando a transferência foi concretizada. Neymar também recebeu 10 milhões de euros de luvas quando assinou com o Barcelona.

A situação pode ter contornos negativos para o Barcelona caso o Ministério Público da Espanha, que já entrou com ação contra o Sandro Rosell, julgue que o pagamento de 40 milhões de euros à empresa N&N , de Neymar pai e filho, seja considerado parte do valor da transferência. Se isso acontecer, a DIS vai cobrar 40% para ela.

image2014-01-31-151615 (4)-1

Em entrevista à rádio catalã La Xarxa, na manhã de hoje, Roberto Moreno, diretor jurídico do grupo, disse que já entrou com uma demanda junto ao Ministério da Justiça do Brasil para que requisite os documentos referentes ao negócio no Brasil e na Espanha. Esta é uma das demandas da Justiça espanhola, que deu prazo de cinco dias para que o Barcelona disponibilize todas as tranferências e contratos com o jogador Neymar , N&N ou Santos nos anos de 2011, 2012 e 2013.

– No Brasil já foi apresentada uma demanda, e há um braço dela que será encaminhada para a Espanha, chamada “carta rogatória”. Há uma solicitação junto ao ministro da justiça do Brasil e o da Espanha para que sejam apresentados os documentos referentes à transação – afirmou Moreno à rádio La Xarxa.

O Santos também estaria em débito com a DIS, segundo Moreno afirmou à rádio. A realização de dois amistosos contra o Barcelona – avaliados em 2,5 milhões de euros cada – e a prioridade em três atletas da base do Santos no valor de 7,9 milhões de euros – é vista pela DIS como parte do valor de transferência.

O grupo estuda entrar com uma ação judicial por 40% desse valor também. Mas, antes, o grupo pretende reunir mais documentos e considera que somente as Justiças brasileira e espanhola podem definir essa questão.

– O Santos acredita que agiu corretamente, mas pode não ter sido tão correta assim. Os amistosos contra o Barcelona e a preferência na compra de três jogadores da base santista são, para o DIS, parte da transferência pelo atleta Neymar. Mas cabe à Justiça decidir se é ou não – afirmou Moreno na entrevista.



MaisRecentes

Governo admite que errou em MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo

Sem resposta de Zé Ricardo, Milton Mendes entra no radar do Botafogo



Continue Lendo

Novo diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni tem três nomes para lugar de Abel Braga



Continue Lendo