Clubes atrasam taxas de olho no Proforte



Vários clubes de futebol aumentaram o calote no pagamento de impostos prevendo uma nova renegociação caso o Proforte seja aprovado. Em alguns, a estratégia provocou debates acalorados entre diretores. A ideia é que como a dívida irá receber algum tipo de perdão, pagá-la agora é burrice. Estima-se que, incluindo dívidas trabalhistas, o débito dos clubes chegue a R$ 5 bilhões.

Buraco cresce
O Palmeiras atingiu R$ 100 milhões em patrimônio líquido negativo, com o prejuízo de R$ 22 milhões acumulado em 2013. No fim do ano, o clube tinha tinha R$ 89 milhões de ativo circulante e R$ 329 milhões de obrigações que vencem no curto prazo.

Sindicato individual
O Sindicato Nacional das Entidades de Futebol (Sindafebol), presidido por Mustafá Contursi, fechou 2013 com R$ 68 mil de prejuízo, sobre R$ 480 mil de receita. Os maiores gastos foram restaurantes e lanches (R$ 202 mil) e viagens e estadias (R$ 102 mil). O sindicato tem um funcionário.

Bate-boca
A grave situação econômica do sindicato – que vive exclusivamente de verba da CBF, congelada há cinco anos – esquentou os presidentes de federação. Rubens Lopes (Ferj) propôs que as entidades contribuíssem com R$ 5 mil/mês. As federações do NE se rebelaram.

Corinthians
O clima na chapa de situação do Corinthians está tenso. Roberto de Andrade, pré-candidato a presidente, está irritado com o ex-diretor André Luiz de Oliveira, que Andrés Sánchez insiste em pôr como vice. Oliveira agita no Facebook que será candidato a presidente do clube.

Novo Morumbi
Apesar da intenção de anunciar uma nova empreiteira nos próximos dias, advogados especializados em contratos esportivos afirmam que a empresa interessada irá demorar semanas para analisar e adaptar o antigo contrato, que tem mais de 2.500 páginas. A diretoria tricolor também admite que o processo será lento.

Custo acima de zero
Além dos 23 milhões que o São Paulo calcula deixar de arrecadar com o Morumbi durante a reforma do estádio, há duas despesas que a diretoria não contabilizou: os dois telões que serão pendurados na nova cobertura. Cada um custa cerca de R$ 10 milhões.

Patrocínio
A Panasonic, que é parceira do Comitê Olímpico Internacional, fez seu maior investimento em competições olímpicas nos Jogos de Inverno 2014, em Sochi (RUS). A empresa forneceu 12,3 mil aparelhos, entre monitores, câmeras, sistemas de áudio, projetores e telas. A empresa tem contrato com o COI até os Jogos de 2016.

New Eurico
O candidato a presidente do Vasco, Eurico Miranda, está assumindo uma nova personalidade política. Aconselhado por uma equipe de consultoria, Eurico busca uma imagem mais jovial e alegre. Os alvos dos seus consultores são os ternos e os gritos.
De Letra

“Foi o Poder Judiciário que pôs algemas no meu cliente”

Gislaine Nunes, nova advogada do volante Luis Antonio, que pela quarta vez não conseguiu se desligar do Flamengo

 



MaisRecentes

Futebol americano: NFL e Microsoft ampliam parceria de atuação digital



Continue Lendo

Delta torna-se o primeiro parceiro da Olimpíada de Los Angeles-2028



Continue Lendo