Presidente fica isolado e concede mais poder a Mano no Corinthians



Mano

Mano terá mais autonomia com Ronaldo Ximenes na diretoria de futebol (Foto: Eduardo Viana)

A escolha do secretário-geral Ronaldo Ximenes como novo diretor de futebol do Corinthians foi a estratégia encontrada pelo presidente Mário Gobbi para conceder mais poder ao técnico Mano Menezes. Sem o diretor Roberto de Andrade e o diretor adjunto Duílio Monteiro Alves, que comunicaram o afastamento da diretoria na última quinta-feira, o treinador também vai trabalhar como manager daqui pra frente.

Homem de confiança do presidente, mas sem experiência dentro do futebol, Ximenes, na verdade, será peça-chave para minar a oposição que se criou dentro da própria situação. A saída de Roberto já era esperada, já que ele será o candidato à presidência do clube em 2015. Duílio, que vinha sofrendo críticas pela amizade criada com alguns atletas, deixou o cargo aconselhado pelo ex-presidente Andrés Sanchez. Tudo isso para isolar ainda mais Gobbi, acusado internamente de ter articulado a saída de Tite e a contratação de Mano sem antes ter conversado com a direção.

Para atrapalhar ainda mais o trabalho da atual gestão, o grupo opositor é o responsável por vazar à imprensa os débitos do clube com jogadores do elenco, entre eles, o atraso no pagamento dos direitos de imagem de Pato.

A pouco mais de um ano da eleição presidencial, a crise política esquentou de vez. Se antes a disputa era “Situação x Oposição”, agora também é “Situação x Situação”.



MaisRecentes

Zagueiro Felipe Santana, ex-Atlético-MG, pode ir para o futebol alemão



Continue Lendo

Investimento milionário na Granja Comary incomoda dirigentes de clubes da Série A



Continue Lendo

Cargos de vice-presidentes têm gerado desconforto entre grupos políticos no Vasco



Continue Lendo