Botafogo deixa de lucrar R$ 20 milhões sem o Engenhão em 2013



FBL-OLY-2016-BRAZIL-STADIUM-ENGENHAO

Sem o Engenhão, Botafogo calcula um prejuízo de R$ 20 milhões em 2013 (Foto: AFP)

A interdição do Engenhão em março deste ano por problemas estruturais na cobertura causou um prejuízo de R$ 20 milhões ao Botafogo. Sem poder utilizar o estádio João Havelange, o time carioca teve de mandar seus jogos em diversos locais, entre eles, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, e no Maracanã, na capital.

– O Botafogo calcula um prejuízo de R$ 20 milhões sem o Engenhão. A interdição matou o nosso ano – declarou o presidente Mauricio Assumpção, durante o Fórum de Gestão de Estádios e Arenas, nesta terça-feira, em São Paulo.

Mas a promessa é de boas notícias em 2014. De acordo com o dirigente alvinegro, o Engenhão deverá abrir as portas novamente ainda no primeiro semestre (abril ou maio) para abrigar alguns treinamentos de seleções antes e durante a Copa do Mundo. O estádio é um dos Campos Oficiais de Treinamento (COT) aprovados pela Fifa.

Ao término do Mundial, a expectativa do clube carioca é poder mandar no estádio algumas partidas no Brasileirão. A capacidade total (cerca de 45 mil lugares), no entanto, seria reduzida para 15 mil torcedores.

NAMING RIGHTS

Apesar da interdição do Engenhão, as negociações para fechar o naming rights seguem em andamento. Mauricio Assumpção, além de afirmar que as obras não interferiram nas conversas com as empresas interessadas, espera que o clube consiga um contrato de patrocínio que pague entre R$ 14 milhões e R$ 16 milhões por ano.



MaisRecentes

Novo diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni tem três nomes para lugar de Abel Braga



Continue Lendo

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo