Dirigentes de São Paulo e Ponte discutem antes de reunião do Ministério Público



Marcio Della Volpe, presidente da Ponte Preta, e José Francisco Manssur, assessor especial da presidência do São Paulo, discutiram nesta segunda-feira à tarde, momentos antes da audiência no Ministério Público para a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta  com os clubes paulistas, que a partir de 2014 vão ajudar no controle e monitoramento das torcidas organizadas nos estádios.

O tema da discussão foi o veto do Moisés Lucarelli, em Campinas, para o jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana. Como o estádio tem capacidade para 18.676 torcedores – menos do que os 20 mil exigidos pela Conmebol, o clube campineiro terá de jogar fora de casa.

Em entrevista à De Prima, Della Volpe confirmou que houve uma discussão. Mas ele negou que tenha sido uma debate mais agressivo.

– Na verdade, nós tivemos um debate de ideias. Cada um defendeu a sua posição, mas ninguém passou do limite – declarou.

O presidente pontepretano veio até São Paulo para conversar com Roberto Senise Lisboa, promotor de Justiça do Consumidor de São Paulo. O dirigente foi cobrar do Ministério Público o veto do Moisés Lucarelli. Na conversa, Senise declarou que não poderia fazer nada para ajudar, já que a decisão foi tomada pela Conmebol.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo