Com convite de empresário uruguaio, Andrés Sanchez entra em mais um embate no futebol e ataca Conmebol com apoio de mitos



Com articulação do empresário uruguaio Francisco “Paco” Casal e o ex-presidente do Corinthians Andres Sanchez como anfitrião, dirigentes de clubes sul-americanos e craques do passado realizaram um ato de repúdio à Conmebol na sede do Corinthians.

Segundo os organizadores, o encontro de ontem reuniu 20 dirigentes (Peñarol-URU, Caracas-VEN, LDU-ECU e Libertad-PAR, entre eles). Do Brasil, Corinthians estava presente, o Botafogo mandou uma carta e o diretor do G4 Paulista (dos quatro grandes de SP) participou.

Para o ex-presidente do Corinthians, a causa veio em boa hora. Desde que saiu da CBF, ele busca espaço e apoio para comandar o futebol brasileiro e é um dos possíveis candidatos para as eleições da entidade em 2014. O apoio de Romário e Maradona ele vai ter.

– Graças a Andres, a Paco, a todos os que estão aqui para lutar por um futebol transparente, vamos mudar – afirmou Maradona.

Empresário, agente de jogadores e também negociador de direitos de transmissão, Paco Casal foi o principal articulador do encontro, mas se manteve quieto na coletiva. Foi ele quem levou Maradona ao Parque São Jorge e também quem ligou para Sanchez para falar sobre os problemas com a Conmebol – entre as principais críticas está a negociação de direitos de transmissão das competições da entidade.

Durante o encontro e a entrevista coletiva, Romário e Maradona fizeram acusações contra a Conmebol, com base em um estudo feito do seu balanço, e disseram que ela é uma entidade “corrupta”.

– Tem de colocar tudo às claras. E aqueles que devem, tem de pagar, e os que têm de ser presos, têm de ir para a cadeia – avisou Romário.

– Eu não imaginava que existisse uma instituição mais corrupta do que a FIFA ou a CBF. E consegui encontrar – completou.

Conmebol fez clubes perderem mais de R$ 1 bilhão, diz advogado

Jorge Pereira Shurman, advogado que participou da reunião sobre mudanças no futebol sul-americano desta quarta-feira, em São Paulo, contou ao LANCE!Net quais os pontos apresentados aos participantes do encontro no Parque São Jorge. De acordo com o especialista uruguaio, os clubes perderam cerca de 500 milhões de dólares (cerca de R$ 1,2 bilhão), sendo que nos últimos dois anos, 120 milhões de dólares (cerca de R$ 283 milhões) “sumiram” da entidade.

– Há entradas (receitas) que não foram incorporadas ao balanço de mais de 100 milhões de dólares, por vários anos. Há entrada de 56 milhões de dólares dos dois últimos anos, quando na verdade foi de, no mínimo, 180 milhões de dólares. Eles precisam explicar o sumiço destes 120 milhões de dólares – alegou, ao L!Net.

Os números foram descobertos de acordo com os balanços dos últimos dois anos da Conmebol, além de outros documentos a que o advogado teve acesso. Além deste, outro questionamento se dá por conta de diversos contratos feitos pela entidade que comanda o futebol sul-americano – entre eles os de direitos de transmissão. Por preferência a empresas com melhor relacionamento, a Conmebol teria perdido 430 milhões de dólares (cerca de R$ 1 bilhão).

BATE-BOLA
Jorge Pereira Shurman
Advogado uruguaio contratado para analisar o balanço da Conmebol

LANCE!Net – O que foi constatado?
Jorge Shurman – É uma análise da entrada e saída de dinheiro na Conmebol. Pelo que vimos, há uma diferença importante. Faltam muitas informações nos relatórios que eles apresentam.

L!Net – O que não aparece no balanço?
J.S. – Falta mostrar para onde foi cerca de 120 milhões de dólares de receita. Além disso, nos gastos, eles apresentam 32 milhões de dólares de pagamentos, mas a gente sabe que é mais do que isso, já que apenas 65 milhões de dólares foram pagos em prêmios aos clubes.

L!Net – Além disso, o que mais vocês estão contestando?
J.S. – Por aceitar uma proposta e não outra, a Conmebol deixou de ganhar 430 milhões de dólares, de contratos para a partir de 2015.

L!Net – Mas por que ela não aceitou?
J.S. – Preferiram outra que oferecia muito menos. É exatamente isso o que estamos questionando. O motivo disso. Não entendemos.

L!Net – Quais eram as propostas?
J.S. – Uma era de cerca de 800 milhões de dólares e a outra era de menos do que a metade. A diferença entre elas é mais ou menos essa que eu falei, de 430 milhões de dólares, que a Conmebol perdeu por não aceitar a melhor proposta para contratos a partir de 2015.

QUEM É FRANCISCO ‘PACO’ CASAL?

Francisco ‘Paco’ Casal, nasceu no Brasil e foi criado em Montevidéu.

Profissão: Negociador dos direitos de TV e agente de jogadores, como de Francescoli, com quem abriu uma empresa. Detentor dos direitos dos principais eventos do futebol no Uruguai.
Participação: O empresário foi o principal articulador da reunião que aconteceu ontem em São Paulo (SP), no Parque São Jorge. No encontro, que reuniu cerca de 20 clubes da América do Sul, ex-jogadores do continente, como Maradona e Romário, e o ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez, ele se manteve reservado.

TRAJETÓRIA DE ANDRÉS SANCHEZ

Abril/2010 – Andrés apoia a candidatura derrotada de Kleber Leite, aliado de Ricardo Teixeira e ex-presidente do Flamengo, na disputa pela presidência do Clube dos 13. Fábio Koff, hoje presidente do Grêmio, vence o pleito com o apoio de Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo. Até ali, o Morumbi era apontado como o palco da abertura da Copa de 2014.

Junho/2010 – Em briga política com Juvenal Juvêncio, Teixeira tira o Morumbi da Copa do Mundo alegando “critérios técnicos” e “falta de garantias financeiras”. Andrés apresenta projeto para a construção do estádio em Itaquera e vira chefe da delegação brasileira na Copa do Mundo da África do Sul.

2011 – Andrés articula o desmoronamento do Clube dos 13. Alegando não concordar com a maneira como eram conduzidas as negociações dos direitos de transmissão, desfilia o Corinthians e negocia individualmente com a Rede Globo. Os demais clubes vão atrás do Timão.

Novembro/2011 – Andrés é anunciado pela CBF, ainda com Ricardo Teixeira como presidente, como diretor de seleções a partir de 2012.

Dezembro/2011 – Andrés se afasta da presidência do Corinthians dois meses antes do pleito e deixa Roberto de Andrade como interino.

Janeiro/2012 – Andrés assume o cargo de diretor de seleções da CBF.

Fevereiro/2012 – Com a eleição de Mario Gobbi à presidência do Corinthians, tenta manter sua influência nas decisões do clube. Após algumas rusgas entre os dois, se afasta. A relação entre os dois volta a se fortalecer.

Novembro/2012 – Andrés renuncia ao cargo na seleção após José Maria Marin, já à frente da CBF, e Marco Polo Del Nero demitirem o técnico Mano Menezes, um dos seus homens de confiança, sem consultá-lo.

Fim de 2012/2013 – Tenta organizar um bloco de oposição a Marin e Del Nero, vice da CBF e provável candidato da situação na eleição de 2014. A reação dos presidentes de federação a ele é tímida. No Corinthians, assume o comando do projeto da Arena Corinthians com a saída de Luis Paulo Rosenberg.



MaisRecentes

Paz selada: Sheik e Dudu marcam jantar



Continue Lendo

Conmebol anunciará veredito do Flamengo na segunda semana de janeiro



Continue Lendo

Presidência da Primeira Liga fica com o América-MG; vice é do Paraná



Continue Lendo