Sindicato dos Atletas busca negociação contra maratona de jogos



O Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo e a Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF) já entraram em contato com a CBF e com atletas dos clubes envolvidos nas mudanças de calendário promovidas pela entidade, que farão com que pelo menos SantosSão Paulo,  Náutico e Atlético-MG disputem partidas com intervalos inferiores a 66 horas.

A Lei Orgânica da CBF estabelece esse número de horas como intervalo mínimo para a realização de jogos consecutivos. Há exceções, mas uma análise preliminar dos órgãos sindicais indica que elas não se aplicam aos casos analisados:

– O intervalo mínimo é de 66 horas, mas há uma exceção que pode reduzir o prazo para 44 horas, dependendo da distância entre os locais dos jogos. Pelo que avaliamos até agora, entretanto, não parece ser o caso – afirmou Rinaldo Martorelli, presidente das duas entidades.

Martorelli disse que, no primeiro momento, tentará promover um diálogo entre clubes, atletas e CBF, em busca de uma solução que não envolva ação judicial:

– Já entramos em contato com os atletas, até para saber se têm interesse na nossa representação. Também já entramos em contato com a CBF, e devemos ter uma resposta em breve. As vezes, o que parece um bicho de sete cabeças vira uma formiguinha na hora de discutir, e chega-se a uma solução – explicou.

Ainda segundo Martorelli, a não observação das leis vigentes e o número de partidas excessivo contribui para encurtar a carreira dos jogadores:

– Nosso trabalho é preservar os atletas. A carreira do jogador já é curta, se não há cuidado com a saúde, acaba encurtando ainda mais. Os jogadores que fazem o espetáculo – afirmou.

A expectativa é de que uma resposta da CBF venha nos próximos dias.



MaisRecentes

‘Rainbow Six Pro League’, no Rio de Janeiro, neste fim de semana, terá premiação milionária



Continue Lendo

Superintendente garante que não há obstáculos para construir no campo do Everest



Continue Lendo

Detalhe técnico pode impossibilitar obra no campo do clube Everest



Continue Lendo