Sindicato dos Atletas busca negociação contra maratona de jogos



O Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo e a Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF) já entraram em contato com a CBF e com atletas dos clubes envolvidos nas mudanças de calendário promovidas pela entidade, que farão com que pelo menos SantosSão Paulo,  Náutico e Atlético-MG disputem partidas com intervalos inferiores a 66 horas.

A Lei Orgânica da CBF estabelece esse número de horas como intervalo mínimo para a realização de jogos consecutivos. Há exceções, mas uma análise preliminar dos órgãos sindicais indica que elas não se aplicam aos casos analisados:

– O intervalo mínimo é de 66 horas, mas há uma exceção que pode reduzir o prazo para 44 horas, dependendo da distância entre os locais dos jogos. Pelo que avaliamos até agora, entretanto, não parece ser o caso – afirmou Rinaldo Martorelli, presidente das duas entidades.

Martorelli disse que, no primeiro momento, tentará promover um diálogo entre clubes, atletas e CBF, em busca de uma solução que não envolva ação judicial:

– Já entramos em contato com os atletas, até para saber se têm interesse na nossa representação. Também já entramos em contato com a CBF, e devemos ter uma resposta em breve. As vezes, o que parece um bicho de sete cabeças vira uma formiguinha na hora de discutir, e chega-se a uma solução – explicou.

Ainda segundo Martorelli, a não observação das leis vigentes e o número de partidas excessivo contribui para encurtar a carreira dos jogadores:

– Nosso trabalho é preservar os atletas. A carreira do jogador já é curta, se não há cuidado com a saúde, acaba encurtando ainda mais. Os jogadores que fazem o espetáculo – afirmou.

A expectativa é de que uma resposta da CBF venha nos próximos dias.



  • luis carlos

    PENSEI Q O SINDICATO IA FORCAR UMA APOSENTADORIA P/O ROGERIO!

    • Nelson Carriati

      E eu pensei que era pro Leo. Fazer o que???

  • ROBERTO

    Jogadores de times grandes do futebol do Brasileiro,chegou a hora de voces peitar esta situação que a CBF e Rede Globo esta tomando em marcar jogos a cada dois dias.
    Jogadores do Futebol do Brasil vamos ter coragem e acabar com esta palhaçada que
    acontece no futebol Brasileiro,tem dirigente do Futebol falando que os jogadores naõ tem um
    pingo de coragem para fazer isto são uns bando de cacão.

  • radamantys

    Quem marcou os jogos foi a globo e não a CBF e todo mundo sabe incluindo o sindicato.
    CPI na GLobo e CPI na CBF já.
    Que o sindicato dos atletas, ministro do esporte, e o mais importante o PROCON possa fazer parte da elaboração do calendário e tbem da negociação dos direitos de transmissão. Que muitas vezes é obrigado a assistir o mesmo hj em varias emissoras por determinação da senhora globo, que os horários absurdo que são transmitidos os jogos é prejudicial ao consumidor (torcedor de estadio)

  • Ricardo

    O Martorelli virou o Joaquinzão do Sindicato dos Atletas Profissionais, deve estar lá há uns 20 anos.

  • BRUNO

    A solução para o calendário deveria ser: time que joga a série a não joga estadual e pronto

MaisRecentes

Ana Paula Oliveira vê árbitro de vídeo como ajuda e confia em bom treinamento



Continue Lendo

Nuzman está inclinado a se explicar na Câmara sobre escândalo



Continue Lendo

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo