Treinadores se unem para defender classe e criam federação



Treinadores do primeiro escalão do futebol brasileiro, com apoio dos sindicatos da categoria, fundaram nesta segunda-feira, em um hotel em São Paulo,  a Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol. A entidade foi criada para defender os interesses trabalhistas da classe profissional, alarmada pela alta quantidade de demissões de técnicos no futebol brasileiro.

A ideia de criar o órgão surgiu de uma conversa entre os treinadores Wagner Mancini, atualmente no Atlético-PR, e Caio Júnior,  do Vitória-BA:

– Eu e o Caio nos encontramos nas férias, em um supermercado em Orlando (EUA), onde conversamos sobre o assunto. Depois voltamos, e a ideia foi ganhando corpo. Em março, na reunião da Abex (Associação Brasileira dos Executivos de Futebol), demos o pontapé inicial – conta Mancini.

As conversas e reuniões para o lançamento do projeto duraram seis meses. A lei determina que, para que seja criada uma federação, são necessárias as assinaturas de, pelo menos cinco sindicados ta categoria.

O treinador da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, esteve no anúncio e demonstrou apoio à iniciativa:

– Esse é só o primeiro passo, muitos outros ainda serão dados. Mas para que cheguemos lá, é preciso dar o primeiro. Talvez não em uma semana, em um mês, ou mesmo em um ano, mas vamos avançar para que tenhamos respeito. O treinador precisa ser respeitado. Essa entidade era o sonho de todo técnico, todo mundo queria isso – disse Felipão.

Primeiro vice-presidente da entidade, Wagner Mancini falou sobre a necessidade de melhorar as condições de trabalho dos treinadores, citando algumas das propostas da FBTF para combater o alto índice de demissões de treinadores no Brasil e melhorar o nível dos profissionais:

– As trocas de comando geram gastos para os técnicos e para os clubes. Uma das propostas é a obrigatoriedade de pagamento integral do contrato em casos de demissão. Também queremos investir em capacitação, com cursos de federações – afirmou.

Dorival Júnior, técnico do Vasco, mostrou muita insatisfação com a situação atual dos treinadores brasileiros:

– Treinador no Brasil não tem respeito. Nem sei mais por que assinamos contratos anuais, se são semanais. Precisamos de estabilidade para trabalhar, em 15 rodadas do Brasileiro, temos dez treinadores demitidos.  Isso faz o futebol cair, e hoje, talvez, seja o pior momento do futebol brasileiro, tecnicamente – argumentou.

O objetivo da adesão de treinadores de ponta é, principalmente, ganhar força para conseguir benefícios para para os treinadores iniciantes e de equipes menores, nas Séries B, C e D. Além de Felipão, Mancini e Dorival, estiveram no evento outros treiandores como Gilson Kleina, Pintado, Emerson Leão, Paulo Roberto Falcão, Caio Júnior, Silas, dentre outros.

A ata da fundação foi assinada no local, onde realizou-se a primeira reunião. A diretoria da entidade foi composta por treinadores e membros de sindicatos da categoria:

Presidente: José Mario de Almeira Barros (Zé Mario)

Vice-presidentes: Wagner Mancini, Dorival Júnior, Falcão, Caio Júnior

Secretário Geral: Alfredo Sampaio (treinador e presidente do Sindicato dos Atletas do Rio de Janeiro)

Scolari será membro do Conselho Consultivo, e Emerson Leão do Conselho de Ética.

 



  • luiz claudio

    deverão começar por reduzir os altos salários q são pagos a eles, totalmente fora da realidade do trabalhador brasileiro.

  • Sempre Verdão

    Emerson Leão do Conselho de Etica, agora o bicho pega

  • Bruno MD

    Acho que deveria haver uma divisao e as regras deveriam ser diferentes para tecnicos de times grandes em relação ao resto. Um tecnico de um time de ponta ganha pelo menos 300 mil reais, ai o cara começa a fazer um monte de cagada e só vai poder ser demitido se receber o resto do contrato? nenhum clube vai pagar mais essa fortuna. Essa iniciativa sera um tiro no pé.

    • Só que não é o que acontece, geralmente. Clubes brasileiros, principalmente os de médio e baixo escalão, demitem por causa de uma simples derrota ou simplesmente por não concordar com algumas atitudes do treinador.

      O São Caetano de 2012 é um caso para exemplificar. O time luta pelas primeiras posições e está no grupo de acesso, só que sofre duas derrotas seguidas. Demite o técnico Márcio Araújo, se esquecendo de que até aquele momento o desempenho era bom e que ele, no ano anterior, salvou o time do descenso.

      Moral da história: o São Caetano não conseguiu subir, e o treinador Márcio Araújo está desempregado atualmente. Além disso, o técnico substituto, Emerson Leão, durou pouquíssimo no cargo também.

  • paulo

    Acho necessário que seja criada a Federação de Técnicos de futebol, e espero que ela seja realmente inaugurada o quanto antes, só assim, acaba essa mania de trocas de técnico praticamente a cada rodada do brasileiro, e com isso também , que eles possam lutar para que a CBF, mude os horários dos jogos nos meios de semanas, porque para a rede de TV, o campeonato fica em segundo plano, a prioridade é para as novelas das 20hs. De certo é que muita coisa precisa mudar para que o campeonato se torne mais emocionante e acreditado, um exemplo: Profissionalizar os árbitros. Isso não é papel dos técnicos. mas com a sua Federação certamente que terão muito mais força e influência nas mudanças do nosso futebol.

  • Lucas Silva

    Wagner Mancini e Caio Júnior não deveriam reclamar de demissões. Eles são dos piores técnicos que o Brasil já produziu. Deveriam gastar o tempo deles estudando e mudando de profissão. Hilário isso. Só tem credibilidade porque tem Dorival, Felipão e Falcão. Se não seria só piada.

  • Felipe Ricco

    Qualquer profissional está sujeito a ser demitido se fizer cagada no trabalho. A diferença é que a maioria dos trabalhadores ganha no máximo 1.500 reais e qualquer técnico desses não ganha menos de 100.000.
    Por esses valores, é lógico que um cara desses tem que ser muito cobrado.
    E tem outra, esses caras todos tem clausula de rescisão milionárias nos contratos, dinheiro esse que muitos aqui não ganharia trabalhando a vida inteira.
    Era o que faltava, já bastava os jogadores terem virado um bando de menininhas melindrosas, agora os técnicos também… Aff!!

  • guto tyf

    SERÁ QUE ELES CONCORDAM QUE GANHAM SALÁRIOS EXORBITANTES? SERÁ QUE ELES CONCORDAM QUE 200, 300 MIL PRA UM TREINADOR TOP JÁ ESTÁ DE ÓTIMO TAMANHO?

  • Paulo Cavalcante

    Bom dia quanto ao desejo ainda bem que comecou mas falta tambem para os menino juniores que sao levados e la e as vezes somem isso tambem poderia ser visto por uma pessoa mais experiente do que eu mas isso eu deixo para voces mas valeu obrigado e uma boa noite.

MaisRecentes

Orçamento de 2018 está sob análise dos conselhos do Flamengo



Continue Lendo

Placar das finanças: Corinthians batalha para fechar 2017 perto do ‘0 a 0’



Continue Lendo

Curso de treinador sem chancela de Conmebol e Fifa liga sinal de alerta



Continue Lendo