Por antidoping, CBF vai à Colômbia



O presidente da comissão antidoping da CBF, o médico Fernando Solera, viajará neste domingo para a Colômbia para acertar amanhã com um labotório local a realização dos exames antidoping dos Campeonatos Brasileiros e da Copa do Brasil.

Até esta semana, a CBF realizava seus exames no Ladetec, laboratório que pertence ao Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O Ladetec, entretanto, foi descredenciado na última sexta-feira, 9 de agosto. A Wada, responsável pelo credenciamento dos laboratórios em todo o mundo (são 31 além do brasileiro), ainda não divulgou o motivo. Advogados especializados no assunto afirmam que a punição é consequência do caso do jogador de vôlei de praia Pedro Solberg, que deu falso positivo.

Pelo regulamento internacional antidoping, todas as competições realizadas pelas federações nacionais dos esportes olímpicos devem ter controle antidoping. E, para terem validade, os exames precisam ser  feitos por um laboratório credenciado.

– Vou sacrificar o Dia dos Pais, mas não tem jeito. Quero estar na segunda-feira de manhã em Bogotá para resolver isso e manter o controle antidoping funcionando regularmente – disse Solera.

O Laboratorio de Controle al Dopaje, em Bogotá, foi o escolhido pela CBF porque é o único reconhecido pela Wada na América do Sul, além do Ladetec. Nas Américas, há mais cinco: um em Cuba, México e Canadá, e dois nos EUA.

A responsável pelo laboratório que pertence ao Coldeporte, órgão do governo colombiano, é Gloria Gallo. Solera já marcou uma reunião com ela na segunda feira às 8h.

 



MaisRecentes

CBV visita cidade que pode receber seleções de vôlei nos Jogos de 2020



Continue Lendo

Botafogo deixa a Libertadores com R$ 13,4 milhões pela participação



Continue Lendo

Empresa explica saída do Brasil do Tour da Taça da Copa do Mundo



Continue Lendo