FBF diz não ter informações sobre Santos x Fla, blinda presidente, mas também vai ter participação na renda do jogo no Mané Garrincha



A Federação Brasiliense tem negado qualquer participação no polêmico Santos e Flamengo, no Mané Garrincha, em Brasília, e diz desconhecer informações sobre o jogo, que acontece domingo. Mas uma coisa a assessoria responde: a FBF ficará com ao menos 5% da renda da partida, apesar de a divisão ainda não estar fechada.

Na única vez que o presidente da entidade atendeu ao L!, há uma semana, respondeu que não tinha nada a ver com o evento e que não sabia nada a respeito. Depois disso, não falou mais com a imprensa.
A comunicação da entidade diz que o único trabalho que teve para Santos e Flamengo foi na questão da liberação de alvarás para a abertura do Mané Garrincha.

Embora se isente de mais responsabilidades, todos os outros envolvidos na partida de domingo citam a FBF como parte atuante nas negociações da mudança do local do jogo (da Vila para o Mané Garrincha) e também na venda do mando para a empresa Aoxy, de Tuca Belotti, ligada a Wagner Abrahão.
Em contato com a reportagem, o empresário, que ainda não apareceu publicamente para falar sobre o evento, disse que não deve satisfações para ninguém.

– Não lhe devo satisfação. O meu negócio é com o Santos, a minha empresa é privada e eu não preciso explicar nada. – afirmou Tuca Belotti.

Além do “negócio” com o Santos, Tuca disse que foi contratado para prestar serviços para a FBF, que nega que tenha contratado qualquer empresa para a realização do jogo.

Além da FBF receber por ter, teoricamente, o mando de jogo, a Federação Paulista também vai ganhar a sua parte, que o L! apurou será de R$ 200 mil. A renda da bilheteria, que passará de R$ 7 milhões, vai para a Aoxy. Já os torcedores pagaram caro pelo ingressos: entre R$ 160 e R$ 400

Camarotes à venda no Mané

Além da receita dos mais de 60 mil ingressos colocados à disposição da torcida, os camarotes serão outra fonte de renda. A Golden Goal foi a empresa contratada para realizar a venda dos espaços vips do Mané Garrincha, em um acordo exclusivo para o jogo entre Santos e Flamengo.

Há 77 camarotes na nova arena de Brasília, dos quais 66 estão sendo comercializados e os outros dez foram separados para autoridades e patrocinadores. Os preços variam entre R$ 14 mil e R$ 42 mil, para 14 e 42 pessoas, respectivamente. De acordo com a empresa, até ontem, mais de 60% dos espaços já tinham sido vendidos.

A Golden Goal, no entanto, não soube responder com quem foi feito este contrato.

GDF diz que não vai dar dinheiro

O GDF, por meio de sua assessoria de imprensa, disse que não haverá nenhum gasto público no jogo entre Santos e Flamengo, em Brasília, no Mané Garrincha, nem mesmo em publicidade. O departamento de comunicação também confirmou que não haverá repasse da receita da partida para os cofres do Estado.

O responsável pelo estádio é, neste momento, o COL, que abriu uma exceção para o jogo deste domingo, da primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

A nova arena, recém inaugurada, foi emprestada para o Santos sem a cobrança de aluguel, por ser considerado um evento-teste para a Copa das Confederações, que começa no meio de junho. Apenas uma taxa administrativa de R$ 4 mil foi pedida.

A responsabilidade do GDF para o jogo será apenas em relação à segurança na chegada ao estádio Mané Garrincha e ao acesso dos torcedores à arena. De acordo com a assessoria, o contato do GDF foi apenas com o COL e com a Federação Brasiliense.



MaisRecentes

‘Rainbow Six Pro League’, no Rio de Janeiro, neste fim de semana, terá premiação milionária



Continue Lendo

Superintendente garante que não há obstáculos para construir no campo do Everest



Continue Lendo

Detalhe técnico pode impossibilitar obra no campo do clube Everest



Continue Lendo