Sob o olhar do MP, Caixa define garantias



A Caixa estuda quais garantias deverá exigir para ser o banco repassador do empréstimo do BNDES à Arena Corinthians. O Ministério Público Federal fiscaliza a operação, para que não haja redução das garantias. O banco estuda os direitos sobre os naming rights do estádio como alternativa, além de outras receitas geradas pela Arena. O Banco do Brasil exigia bens da Odebrecht, mas foi descartado do negócio sem consegui-los.

Efeito Dodô
O Botafogo investiu em janeiro R$ 4 mil em kits de remédios para os jogadores. O departamento médico orienta que, se algum jogador se sentir mal, ele deve buscar orientação do clube para saber qual dos medicamentos usar. O objetivo é evitar que alguém tome alguma substância proibida pelo antidoping.

Negociação
O Ministério do Esporte vai convocar clubes e investidores para debater a proposta de proibir que pessoas e empresas continuem a ter parte dos direitos econômicos de jogadores, antes de inclui-la na medida provisória de reestruturação das dívidas do futebol. Os grandes clubes estão atrasando manifestar apoio ao projeto por se opor a essa proibição.

Só no Botafogo
O oposicionista Antonio Carlos Mantuano, que perdeu a eleição para presidente do Conselho Consultivo por 13 a 11, diz que a eleição terminou empatada e que conseguiu uma recontagem – os votantes confirmarão por e-mail o voto. Mas o clube afirma que Alberto Macedo venceu e que nem sequer houve reclamação.

Atualização: O presidente da comissão permanente do Botafogo, Luis Eduardo Vaz Miranda, confirmou a versão de Mantuano de que haverá recontagem dos votos. Miranda também confirmou a versão da diretoria de que não houve reclamação na hora da votação. Ele afirmou que Mantuano o procurou dia seguinte dizendo que havia feito uma recontagem mental dos votos – a votação foi aberta – e tinha concluído que houvera erro. Miranda e o presidente do Conselho Deliberativo, José Luis Rolim, aceitaram o argumento e decidiram pela recontagem, com o aval do presidente interino do clube, Paulo Mendes (Maurício Assumpção pediu licença para cuidar de problemas de saúde de seu pai). Os 24 votantes – 19, mais os dois candidatos e os três presidentes de poderes – serão convocados a reiterar seu voto por meio de mail ou carta. Não está claro ainda o que acontecerá se houver empate.

Em vigor
Conselheiros do Palmeiras ainda brigam para que o aumento na mensalidade dos sócios seja submetido ao Conselho Deliberativo. Em maio, entra em vigor um acréscimo de 30%, aprovado pelo COF. A diretoria fará cinco meses de experiência, e pode determinar novo aumento, para chegar perto da proposta inicial de 60%.

Cerveja
A Itaipava e a Arena Pernambuco chegaram, enfim, a um acordo e devem assinar contrato na semana que vem. A cervejaria vai ter direito a colocar o nome no novo estádio durante dez anos, por um valor maior do que a da Fonte Nova, na Bahia. A forma de pagamento é o último detalhe que faltou na última reunião.

Novo padrão
A Perdigão vai trabalhar um novo formato para a final da Copa do Brasil, da qual comprou os naming rights. O plano da empresa, que tem a Golden Goal como agência, é transformar o último jogo da competição em um show. As duas empresas estão analisando as possibilidades para definir um modelo.

Dois coelhos
Ao reconduzir o conselheiro corintiano de oposição Fran Papaiordanou à cúpula da FPF, o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero quis mais do que alfinetar o desafeto Andrés Sanchez. O cartola também tenta dissuadir outro líder corintiano, Paulo Garcia, amigo de Fran, de disputar a próxima eleição na FPF, em 2015, apoiado por Sanchez.

Holofote
O Ministério Público Federal oficiou o ministro do Esporte Aldo Rebelo, cobrando explicações sobre sua atuação como mediador na questão da liberação do financiamento do BNDES à Arena Corinthians. O órgão quer saber o papel do ministro e que medidas levaram à substituição do banco repassador.

De Letra
“O Andrés tem só o apoio do Romário, do Ronaldo, do Lula e da Dilma. Mesmo que ele não queira, fica difícil dizer não”
Edgard Ortiz, conselheiro corintiano sobre a candidatura de Sánchez à presidência da CBF.



  • Junior

    O emprestimo do BNDS é para Odebrecht, ate porque BNDS não empresta dinheiro para clube de futebol, a garantia seria naming nitghts e renda da arena que no caso seria do Corinthians? não faz sentido… quem tem q da as garantias é quem esta recebendo o emprestimo que é a Odebrecht.

    • Iuri

      Seu pensamento faz sentido.
      Pensemos também, o BNDS exigiu a criação da SPE – Sociedade de Propósito Específico, que é registrada na CVM e é administrada por uma empresa contratada pelo Corinthians, justamente viabilizar a concessão do benefício. Assim é com o Atlético Paranaense e com o Internacional. Essa informação volta a denotar que o Corinthians é o administrador do estádio, como o clube mesmo sustenta. A empreiteira prestaria serviços e não seria a proprietária do empreendimento.
      Se o impedimento do BB é o estatuto que não permite contrato com clubes, o banco nem deveria ter se habilitado na transação, no meu entendimento. O banco repassador também é remunerado pelo beneficiário e não é pouco dinheiro, daí é possível entender porque o BB não deixou o negócio.

  • Flavio

    VAI CORINTHIANS!!!

  • COCIFLAM

    Essa CEFfoi a mesma que botou 700 milhões do meu, seu, nosso dinheiro naquele Banco Panamericano falido do Silvio Santos e acabou num rombo de 4 Bilhões de reais e ninguém foi preso. Agora neste caso do corinthians o Banco do Brasil e o BNDES pularam fora porque sabem que esse clube paulista não tem nada que possa garantir e a única coisa que ele tem é dívida e conversa fiada dos seus cartolas. È bom o MPF ficar de olho e se for o caso botar na cadeia os que assinarem a garantia assim como José Genoíno será preso por ter assinado como fiador daquele dinheiro que o PT recebeu e depois se transformou no mensalão. O prefeito de São Paulo
    foi em Brasília e disse que a cidade está falida e não tem como pagar as dívidas mas quer botar 15 milhões no Itaquerão. Assim como os mensaleiros está na hora de cartolas de futebol também puxar uma cana e acho que esse estádio vai botar gente na cadeia. Todo mundo sabe que o corinthians não tem como pagar essa dívida

    • Zicomengo

      Sacanagem é o governo perdoar 400 milhões em dívidas fiscais do Flamengo (meu dinheiro, seu dinheiro, nosso dinheiro).

      • Zicomengo

        Sacanagem é o Flamengo ser sustentado pelo povo (25 anos de patrocínio da estatal Petrobrás).

MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo