Diretoria sofre primeira derrota no Flamengo



A diretoria do Flamengo sofreu nesta noite sua primeira derrota na política interna do clube desde a vitória na eleição presidencial de 4 de dezembro.

Numa reunião do Conselho Deliberativo, a diretoria teve sua proposta de alterar o estatuto do clube rejeitada por 135 votos a 133. A proposta ficou a três votos do sucesso, pois, pelas regras, bastaria a maioria dos votos.

A proposta rejeitada só visava mudar os procedimentos para alteração do estatuto do clube. A proposta que visa fazer uma mudança em profundidade na Carta Magna rubro-negra ainda está em discussão e só deverá ser apresentada dentro de pelo menos seis meses.

O que a diretoria queria mudar era o artigo 50, que estabelece as formas de alteração do estatuto. Uma delas estabelece que 50 conselheiros podem apresentar uma proposta. A diretoria queria que o número fosse aumentado em seis vezes, para 300 conselheiros. A ideia era reduzir o número de propostas independentes de alteração de forma a simplificar as discussões sobre o tema.

Inicialmente a alteração defendida pela diretoria parecia que teria aprovação. Quando ficou claro que havia uma forte oposição, o presidente do Conselho Deliberativo, Delair Dumbrosck, em vez de buscar uma proposta intermediária, propôs a votação, pensando que venceria.

Dumbrosck apoiou a Chapa Azul na eleição de dezembro e depois foi apoiado por ela na eleição para o CD. O grupo da atual diretoria também conseguiu eleger seus candidatos aos Conselhos de Administração e Fiscal, por ampla maioria.

Parte dos conselheiros mudou de posição durante a reunião, passando para o lado da oposição. Alguns disseram ter feito isso, porque Dumbrosck teria agido de forma prepotente. A coluna procurou Dumbrosck, mas não o localizou até a publicação desta nota.

 



MaisRecentes

Campanha ajuda Fortaleza a trazer de volta atacante Osvaldo



Continue Lendo

Ferj se surpreende com informalidade da prefeitura do Rio de Janeiro



Continue Lendo

Elenco do Palmeiras pede por Deyverson, Felipão dá chance, mas diretoria quer negociá-lo



Continue Lendo