Dívida que só cresce: ajuda da União não diminui rombo dos clubes brasileiros



A dívida total dos 15 maiores clubes brasileiros, até o último balanço oficial, com dados de 2011, passava de R$ 3,2 bilhões. O número é 70% maior que o de 2008, ano em que o governo federal resolveu oferecer uma ajuda às agremiações, por meio da Timemania. Apesar do suporte, as diretorias, mesmo com receitas maiores, fizeram o pacote de dívidas crescer, por falta de controle de gastos.

A fórmula era simples: os clubes confessariam seus débitos, refinanciariam as dívidas fiscais, se comprometeriam a pagar em 240 parcelas e, além disso, parte do dinheiro das apostas serviria para abater o que deviam – na época, a expectativa era de arrecadar R$ 500 milhões por ano com a loteria. Cinco anos depois do lançamento, o programa é considerado um fracasso e pouco ajudou na saúde financeira do futebol, segundo dirigentes de clubes e especialistas.

– O principal fracasso dela foi a adesão. O governo, na época, acreditava que seria um verdadeiro sucesso. O torcedor jogaria para ajudar o time dele, mas o fato é que isso não ocorreu – afirmou Carlos Aragaki, sócio da Mazars Auditores e especialista em auditoria de clubes.

O Corinthians, em seu balanço mais recente, de 2012, mostra que o valor arrecadado na Timemania foi de apenas R$ 2 milhões, pouco em relação ao total de R$ 177,1 milhões do endividamento.

Diante deste cenário, o Ministério dos Esportes tenta uma nova empreitada. Recentemente, a pasta decidiu apadrinhar um projeto do deputado federal Vicente Candido (PT-SP), que tem o mesmo objetivo da Timemania. Sem loteria, a ideia, ainda em estudo, é ter contrapartidas sociais, incentivo ao esporte olímpico e penalidades desportivas para os clubes e cíveis para os presidentes.

– Um projeto como esse precisa ser feito junto com os clubes ou não vai funcionar – disse Cristiano Kohler, diretor geral do Vasco.

– Somos inteiramente a favor disso. Vai ser uma forma de resgatar o desenvolvimento de atletas olímpicos – afirmou Sérgio Landau, diretor executivo do Botafogo.

divs0461 LNET

Bate-Bola

Raul Corrêa da Silva
Diretor de finanças do Corinthians

O que você acha dessa nova ideia do Ministério do Esporte?
É um projeto muito sério. Ele tem uma das coisas mais fantásticas que poderia ter: a penalidade esportiva. Você vai lá e faz um gol no finzinho, mas atrasa o fundo de garantia no dia seguinte e perde três pontos.

Acredita que o governo irá em frente com as penalidades?
Você não consegue pegar tudo em uma única legislação. Tem de ir ajustando. Você precisa dar o primeiro passo. O governo não vai permitir que não seja cumprido, eu estou muito otimista. Temos apenas de fiscalizar, ficar em cima.

E as outras dívidas que os clubes têm?
Sem dúvidas que se você ajuda os clubes com as dívidas fiscais, eles vão ser obrigados a fazer um planejamento estratégico. Talvez isso implique em um sofrimento de um ou dois anos, mas isso vai exatamente ao encontro do profissionalismo de mercado.

Não corre o risco de ser um fracasso como a Timemania?
Quando veio a Timemania, existia um coronelismo muito grande no futebol, que a gente não vê mais hoje. Estamos em um processo de mudanças, de profissionalização. Acredito que esse novo projeto ajude bastante nisso. Quando você tem contrapartida e ela faz sentido, a gente tem de apoiar.

 

Débito federal é só uma parte

A iniciativa do governo, se aprovada, irá impactar tão somente nas dívidas com a União, basicamente FGTS, INSS e Imposto de Renda na Fonte que foi recolhido e não repassado. Mas esse montante representa apenas pouco menos da metade do problema. Débitos de tributos municipais e estaduais, empréstimos bancários e processos trabalhistas completam o restante do rombo dos clubes.

O diretor executivo do Botafogo, Sérgio Landau, que reconhece o fracasso da Timemania, diz que o projeto em estudo pode ser diferente e ajudar na organização do clube para os outros acertos.

– Essa outra ação impõe uma organização maior. Você direciona o dinheiro e se planeja para acertar as contas. Ainda pode usar a sua estrutura com esportes olímpicos para o pagamento – afirmou ao L!.

 

Com a palavra

Carlos Aragaki
Sócio da Mazars Auditores e especialista em auditoria de clubes

“A contrapartida tem de ser muito boa”

Os impostos pós-Timemania acabaram virando um problema, porque os clubes mal conseguem pagar a dívida e já têm os impostos correntes. Alguns têm essa dívida acumulada. Se essa medida nova irá de alguma forma abater as dívidas dos clubes, será uma grande ajuda. Mas se a contrapartida não é boa o suficiente, as dívidas vão continuar aumentando.



  • joão carlos da silva

    sobre o palmeiras

  • Lazaro Andrade

    Essa história do governo ajudar clube de futebol é um absurdo, tem uma turma de irresponsáveis à frente dos clubes, pagando salários absurdos para jogadores, e jogando dinheiro fora. Isso é umao uma humilhação para o povo que está morrendo nas filas dos hospitais por falta de atendimento médico. O governo deve gastar nosso dinheiro é com bons salários para os médicos, melhor estrutura para os hospitais e diminuir a carga tributário para a população, dar boa vida pra jogador de futebol é brincadeira….

    • Francisco

      Lazaro, vc tem toda razão. Isso de ajudar os clubes financeiramente só aumenta a irresponsabilidae dos dirigentes.

    • andre

      O governo não vai dar dinheiro para os clubes e sim, incentivos para que consigam pagar suas dividas e prometem fiscalizar e punir esportivamente. Sinceramente acho que pode dar certo, pois os clubes serão obrigados a serem profissionais e trabalhar com responsabilidade!!!

  • Para acabar com isso o torcedor tem que parar de ir ao estadio e comprar coisas de seus times. O futebol é um mundo podre onde só tem corrupção e jogo de interesses próprios. É assim em todo o mundo e nao somente aqui no Brasil. Como acabar.. parando de gastar dinheiro com o futebol.. assiste em casa mesmo..

    • O maior dinheiro que você pode dar aos clubes será se você ficar em casa vendo o jogo na TV.

  • NELIO JOSE

    O GOVERNO DEVE PAGAR MELHOR O PROFESSOR, ESQUECE O FUTEBOL QUE SÓ TEM GENTE

    ESPERTA, OS CLUBES DEVEM DIMINUIR OS SALARIOS DOS JOGADORES E CONTROLAR SUAS

    DESPESAS

    • Ivan Mello

      Agora alguém falou o correto !

  • João Silva

    O governo tem que trabalhar para o cidadão. Gosto de futebol, mas se um clube que arrecada mais de 100 milhões por ano não consegue nem manter a grama verde, passe um cadeado na porta e jogue a chave fora, por gentileza.

  • Só penso que essa matéria deveria ter aguardado o balanço de 2012, que muitos clubes já estão fechando e aprovando… sem contar que seria interessante o destaque para times que diminuiram suas dividas e pros times que tem apenas aumentado suas dividas…

    Quanto ao projeto de lei, como disse o especialista, desde que tenha boas contrapartidas para os clubes e realmente as punições sejam rigorosamente aplicadas, qualquer tentativa de se ajudar os clubes é válida…

  • Gremista feliz

    Mais uma vez o governo sustentando os clubes cariocas. Alguém duvida que o Flamengo irá fechar patrocínio master com outra estatal? Já não bastasse os 25 anos de Petrobrás.

    • Nilo Mendes dos Santos

      Gremista infeliz:Todos os anos em que a Petrobrás pagou ao Flamengo para expor a sua marca no uniforme Rubro-Negro,não foi ajuda de governo pró-Flamengo!Houve grande sretornos financeiros,pois o maior revelador de atletas olímpicos é o Flamengo!É o clube que mais investe em esportes olímpicos no País e em contra partida,quando os atletas Rubro-Negors vão defender a seleção em olimpíadas,campeonatos mundiais e demais competições,nada paga ao Flamengo por ceder os seus atletas…Quando foi que o seu clube formou atletas olímpicos???O Flamengo é a maior marca de clube neste País e talvez do mundo,em se tratando de formação de atletas olímpicos e de torcida…Nenhum governo ajudou os clubes cariocas…

      • Francisco

        Nilo, vc tem agua de coco na cabeça?

  • Brígido Ramos

    O problema da TIMEMANIA é a concorrência da MEGA SENA. Basta baixar o preço da TIMEMANIA timemania para um valor menor que a MEGA SENA. TODO MUNDO QUE JOGA A MEGA SENA VAI PASSAR A JOGAR NA TIMEMANIA E A ARRECADAÇÃO DESTA VAI MULTIPLICAR.

  • radamantys

    Bom vou falar uma coisa, pra pagar as dividas o Governo deveria colocar um lei que cada jogador vendido para o Exterior 5% da venda destinada ao Clube sera para pagar a divida (deposito em juízo) ai ninguém faz mais divida, não vai pagar salários altíssimos, não vão pagar 50 Milhões no pato pra ficar na reserva.

  • Fabricio

    Palmeiras, um dos times de menores dívida e a mídia o põe como time falido….

    Fora mídia predatória

  • é isso ai fabricio amidia ipocrita so corinthans não deve/,

  • so mengão 23 contra 8 no nordeste vomo menão/

  • Fernando Espeschit

    Vamos ser realista, jamais estes clubes pagarão sua dívidas com a união, esta deveria “perdoar” os encargos financeiros/multas etc e parcelar o real em parcelas longas, decretar uma lei de responsabilidade administrativas aos clubes com penalidades os administradores e conselheiros incluindo seus próprios bens, fiscalizar e impedir presença do clube em competições de caráter nacional aos que estão em inadimplências fiscais e trabalhistas. Com medidas semelhantes, teremos a partir do decreto a obrigatoriedade dos administradores serem responsáveis financeiramente e não celebridade de mídias e torcidas.
    Obs.: O “perdão” da união, é sua parcela de descontrole fiscal aos cidadãos brasileiros, não há como cobrar e fechar os clubes, pois poderia haver uma mobilização do povo incontrolável (pior que guerra)
    Qualquer empresa para participar de licitações e algum beneficio público, terá que ter em suas documentações o controle financeiro e ser apto a sua atividade etc etc. Porque só aos clubes não tem exigências ?
    Esta da CBF e os Clubes serem considerados particular é balela….. qualquer órgão que usar a nação e seus cidadãos, é considerado de interesse público, com responsabilidade também da união.
    Como a maioria dos brasileiros, sou torcedor e admirador do futebol, gostaria da transparência sobre o mesmo e da distribuição justa das cotas de TV aos modos semelhantes a da Itália, assim teremos campeonatos competivos e justos.
    Certo da competência jornalistica de vocês, deveremos debater e lutar mais para sanear os errados e injustos, que tal fazer uma convenção nacional e debater o assunto com Diretores/presidentes de clubes, autoridades, políticos, juristas, jornalistas, publicitários e toda a cadeia de empresas que participam de uma forma ou outra do esporte.
    Vamos a luta !!!!!!!
    Fernando Espeschit
    Belo Horizonte – MG

  • Fernando Espeschit

    Pelo pouco que sei, o Clube Atlético Mineiro é uns dos mais endividados e de melhores condições administrativas para o presente e futuro, pois sua divida bancaria (BMG – Ricardo Guimarães) é de 90 %, e é uma dividida em longo prazo, com juros baixos e carência longa, nada esta vencido e a forma de pagar é pelo percentual de vendas de atletas, coisa generosa do credor, pois não há como receber de outra forma, o outro montante significativo é com a União (impagável, vide loteria especifica) a espera de uma solução para o mesmo. o restante é administrável.
    Só espero que a futura administração não estrague mais o passado. Aproveito a oportunidade para cumprimentar o presidente e seus diretores etc. pela atual administração do “GALO” e montagem do plantel com os seus comandos.
    Fernando Espeschit
    Belo Horizonte – MG

MaisRecentes

Globo vê obstáculos na ‘pressa’ da CBF para implantar árbitro de vídeo



Continue Lendo

Procurador do STJD não vê brecha para futura reclamação por causa do árbitro de vídeo



Continue Lendo

Eurico exalta árbitro de vídeo no Brasileiro: ‘Antes tarde do que nunca’



Continue Lendo