Arena de R$ 500 milhões: correções e melhorias elevam custo total do estádio do Palmeiras



Verdão admite que Arena pode ficar pronta em 2014: setor antigo é um entrave

Diante de algumas indefinições sobre a Arena Palestra Itália, uma coisa já é certa: o custo das obras quase duplicou desde o início da reforma, na metade 2010.

Faltando ainda completar 35% da execução de todo projeto, a WTorre já calcula hoje que a obra deve sair por R$ 500 milhões.

De acordo com o diretor de novos negócios da construtora, Rogério Dezembro, o acréscimo real em relação aos R$ 300 milhões imaginados há quase três anos, quando as obras começaram, é de R$ 60 milhões. O resto, segundo o mesmo, faz parte da correção, que acontece em reformas de longo prazo.

– A Arena em si não desviou muito. Estão tendo alguns desvios, de coisas que agregamos depois, como colocar um sistema de segurança lá dentro (que vai custar cerca de R$ 15 milhões). Não foi estouro. Nós chegamos a conclusão de que seria legal fazer isso – afirmou Dezembro, em entrevista ao L!.

A maior pedra no sapato da WTorre está no trecho que a prefeitura impede de demolir: parte das velhas arquibancadas, onde as obras ainda estão apenas na metade. Todo o trabalho está sendo feito artesanalmente nesta região, de acordo com as explicações da construtora. O novo anel está sendo feito por cima da antiga estrutura por causa do alvará que foi concedido.

– Esse é o ponto de atenção mais difícil lá, a parte artesanal. A maior probabilidade de ter um contratempo é nessa parte da arquibancada antiga – explicou Rogério Dezembro.

De acordo com a construtora, 80% da obra civil já foram finalizados. A WTorre planeja entregar a Arena entre o final de novembro e dezembro deste ano, mas o Palmeiras e a parceria já trabalham com a possibilidade de não ter o estádio até os primeiros meses de 2014.

– Estamos com 65%. De obra civil, a gente passou de 80%. O que é obra civil: concreto, estrutura de arquibancada, cadeira e camarote. Então, já está entrando na fase de acabamento – disse o diretor da WTorre.

Os prédios administrativo e poliesportivo do complexo já foram finalizados e entregues ao Palmeiras.

Bate-Bola

Rogério Dezembro
Diretor de Novos Negócios da WTorre, ao LANCE!

‘Parte artesanal é trecho de atenção permanente’

1. Os prazos estão atrasados?
Está dentro deste ano.

2. Sem dúvidas?
Não, isso só papai do céu pode dizer. Vai que um helicóptero cai lá, não sei (risos).

3. Você separa a obra em duas, a fase artesanal do restante. Qual a porcentagem do trecho artesanal?
Eu diria que perto de 50%. Mas hoje a gente tem três obras diferentes lá dentro. Esse é o ponto de atenção mais difícil lá, a parte artesanal.

4. Esses 50% que faltam na parte artesanal consegue fazer em 7 meses?
Consegue. Tem umas fotos de novembro de 2011, quando tínhamos começado a demolir um trecho. Você vê as fotos de agora, mudou muito. A gente começou as obras pelas reformas de partes do clube, que já foram entregues. Nós já estamos azulejando o banheiro, então, a obra está dentro do cronograma mesmo. Agora, essa parte artesanal é nosso trecho de atenção permanente. Agora, se pode ter imprevisto? Claro que pode. Qualquer obra pode. Só posso dizer que não quando ela estiver pronta. Então, hoje o cronograma está dentro do previsto, de entregar no segundo semestre deste ano ainda.

5. Quanto vai custar?
Está próximo de R$ 500 milhões. Estádio mais obras no clube. Acréscimo de mais ou menos R$ 60 milhões do início. O resto é correção.



MaisRecentes

Final da Libertadores desperta interesse do espectador brasileiro e audiência explode



Continue Lendo

Pedro Abad pode deixar o comando do Fluminense ainda em 2018



Continue Lendo

Contratação de Felipe Melo pelo Flamengo faz parte de ‘presente de Natal’ pedido por Abel Braga



Continue Lendo