Andrés Sanchez evita reencontro com Marin e pede: ‘me esqueçam’



O possível reencontro de Andrés Sanchez, ex-diretor de seleções da CBF, com a cúpula da entidade não irá acontecer. E por decisão do próprio cartola: “Não vou ao evento da Brahma coisa nenhuma”, confirmou Sanchez, na tarde deste sábado, pelo telefone.

O ex-presidente do Corinthians estava na lista dos convidados especiais da Brahma para o lançamento do programa de sócio-torcedor da empresa, que acontecerá nesta segunda-feira, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

A cerimônia já tem alguns nomes confirmados, inclusive José Maria Marin, presidente da CBF, Luiz Felipe Scolari, técnico da Seleção Brasileira, e Carlos Alberto Parreira, coordenador técnico da equipe.

Esse seria o primeiro encontro da cúpula da CBF com Sanchez após sua demissão da diretoria de seleções da entidade, no final de novembro. Ainda pelo telefone, quando questionado sobre os próximos passos de sua vida, o ex-presidente do Corinthians afirmou: “Quero que vocês me esqueçam”.

Sanchez deixou a CBF brigado com o presidente José Maria Marin e com o vice-presidente Marco Polo Del Nero. Ele se sentiu traído por não ter participado da decisão da demissão do técnico Mano Menezes e muito menos da contratação de Luiz Felipe Scolari.

Até o rompimento, Sanchez e o também presidente da FPF Del Nero tinham uma relação próxima. O segundo vice-presidente da FPF, Geraldo Jabur, é conselheiro do Corinthians e foi indicado por Sanchez em fevereiro de 2012.

Depois de deixar a entidade, Sanchez passou a articular um movimento de oposição na CBF, que passa pela criação de uma liga nacional de futebol. Até agora, aparentemente, não tem conseguido muito apoio. Sanchez ainda deixa aberta a possibilidade de voltar a disputar a presidência do Corinthians, caso o estatuto do clube seja alterado para diminuir o tempo que um presidente possa voltar a ocupar o cargo – atualmente, um ex-presidente tem de esperar duas gestões, ou seis anos, para se tornar elegível novamente.

Comandar a CBF também estava entre as ideias do ex-presidente corintiano, desde a sua saída. Se levar o plano adiante, deve sofrer uma segunda derrota diante da cúpula da CBF, pois Del Nero já foi escolhido por Marin, que até tem pedido votos para seu aliado. O apoio a Del Nero é uma retribuição da articulação que o presidente da FPF fez junto ao então presidente da CBF Ricardo Teixeira para que Marin o sucedesse, cerca de um ano atrás.



MaisRecentes

Novo diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni tem três nomes para lugar de Abel Braga



Continue Lendo

Fernanda Colombo deixa a arbitragem, lança livro e quer ser comentarista



Continue Lendo

Audiência pública promete pressionar políticos contra MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo