Vasco vai a Brasília por renovação de patrocínio com a Eletrobras



O Vasco se diz confiante com as negociações com a montadora japonesa Nissan para ocupar o espaço principal da camisa a partir de julho. Mesmo assim a diretoria planeja ir até Brasília para negociar a renovação de contrato com a Eletrobras, principal patrocinadora do clube desde 2009. O contrato com a estatal se encerra em junho de 2013 e, mesmo diante da diretrioz da companhia de cortar gastos com comunicação, o clube ainda tem esperança de conseguir um contrato, mesmo que por menor valor. O contrato atual é de R$ 14 milhõs anuais, pagos semestralmente.

– Estamos perto de ter um grande patrocinador master. Mas, independentemente disso, antes de esse patrocinador assumir, vamos a Brasília conversar com o Edison Lobão (ministro de Minas e Energia), que é um vascaíno. Vamos conversar com ele para renovar com a Eletrobras, seja na orelha, na cabeça, no calcanhar – explicou o vice-presidente de Finanças, Nelson de Almeida, de forma bem humorada e deixando escapar a cor clubística do titular da pasta.

Em situação financeira preocupante, com salários sistematicamente pagos com atraso e receitas bloqueadas pela Justiça, a pedido da Recita Federal, INSS e ex-atletas, o departamento de Finanças, para equilibrar as contas, pretende superar os R$ 17 milhões de verbas de patrocínio, previstos na proposta orçamentária para 2013, aprovada pelo Conselho Deliberativo na última quinta-feira com ressalvas.

– A proposta está boa. O Vasco pode sofrer uma reação superavitária (sic) – acrescentou Almeida, membro da comissão responsável pela proposta orçamentária, muito contestada por várias correntes políticas. De acordo com a proposta, o clube precisará arrecadar R$ 24 milhões em venda de jogadores, além dos R$ 17 milhões com patrocínio, para fechar o ano. E o clube acaba de perder grande parte dos titulares.

A parceria com a Eletrobras foi tumultuada durante quase toda a sua duração. Por lei, governo e estatais só podem pagar a parceiros que estejam em dia com o pagmento de tributos. E o Vasco não consegue tirar sua Certidão Negativa de Débito há mais de dois anos. Para receber o dinheiro, atrasa o pagamento dos salários dos jogadores. Aí o sindicato dos funcionários vai à Justiça do Trabalho com o argumento de que os funcionários estão passando necessidade. A Justiça do Trabalho  manda a ELetrobras liberar o dinheiro para o sindicato, que repassa aos funcionários. O governo federal vem se irritando com o desgaste de pagar a um clube que não paga os impostos e pressiona a Eletrobras a não renovar.  Mas o Vasco, ainda sem conseguir fechar com outro parceiro, irá conversar com o ministro vascaíno.

 

 



MaisRecentes

Bittencourt é o primeiro presidente do Fluminense a apresentar dirigentes da base em Xerém



Continue Lendo

Pela primeira vez, desde que assumiu a CBF, Rogério Caboclo participará de um programa ao vivo



Continue Lendo

Santos e FPF se unem em campanha por apoio ao futebol feminino no Brasil



Continue Lendo