Volante Elias perto de deixar o Sporting



Na onda de repatriações, Elias, ex-jogador do Corinthians, está próximo de deixar o Sporting e pode ser mais um a voltar ao Brasil. Embora o volante evite falar sobre negociações, a De Prima apurou que o Flamengo teve duas conversas iniciais com os representantes do jogador. A diretoria sinalizou que toparia pagar o salário pedido por Elias, mas não houve ainda formalização de uma proposta do clube para o jogador.

Em entrevista por telefone para a De Prima, Elias falou sobre o momento que vive em Portugal, a seleção brasileira e sobre a relação com o Corinthians.

Elias

Como está a sua situação agora no Sporting?

“O clube está vivendo uma crise política e econômica e acabou afetando o futebol. A equipe está vivendo um momento ruim dentro de campo, mas com certeza a diretoria está fazendo um esforço para superar essa crise”.

Você está infeliz no Sporting, então?

“Estou, sempre estive em times que brigavam por títulos. É complicado você chegar num clube e perder essa oportunidade no meio da temporada, isso afeta, você perde a motivação, perde a confiança. Eu sou brasileiro, gosto sempre de ganhar, de ser o primeiro. E eu quero isso, quero brigar por títulos, sempre é bom você recomeçar novamente, ter outro rumo pra carreira, vamos ver o que vai dar”.

Você passou o Natal no Brasil, alguma negociação?

“Eu estive aí pra passar essa folga de Natal, pra rever meus amigos, minha família, pra matar a saudade um pouco. Mas não conversei com nenhum clube, só sei de boatos mesmo, que sai na internet, aí do Brasil, aqui em Portugal, especulando que eu possa sair, mas nada de concreto”.

O que você está procurando agora?

“Meu objetivo é voltar pra seleção, voltar pra vitrine. Acho que pelo momento do Sporting eu acabei ficando afastado das últimas convocações, na era Mano. Agora com um novo treinador, com o Felipão, ele foi um dos que me ajudaram a sair do Corinthians, que indicou minha contratação para o Atlético de Madri, na época. Acho que é um excelente nome, um bom treinador. Espero a voltar ter chance, mas pra eu ter chance de novo, eu tenho que estar aparecendo, meu time tem que estar bem, mas minha situação ainda é indefinida, a gente não sabe se vai ficar ou não, a gente vai conversar com a diretoria esses dias pra discutir essa situação”.

Para estar na vitrine hoje, é melhor ficar na Europa?

“Não sei, a princípio eu queria ficar na Europa, mas se houver propostas concretas de clubes no Brasil, citando sempre, claro, o Corinthians, que eu sempre desejei, sempre sonhei em retornar ao Corinthians, o Corinthians teria preferência. Mas, claro, o Corinthians não tem a obrigação de me contratar. Com certeza voltar ao cenário brasileiro, pra um grande clube, seria muito importante pra dar sequência na minha carreira”.

Algum clube do Rio procurou você ou o Sporting?

“Olha, não estou sabendo se chegou a conversar, mas comigo eu não tenho nenhuma proposta oficial, de nenhum clube do Brasil, não chegou absolutamente nada até mim, nem até as pessoas que me representam. Mas eu fico feliz, só pelos boatos, eu fico feliz que vários grandes clubes do futebol brasileiro querem contar com meu serviço”.

Uma proposta do Flamengo te balançaria?

“Olha, só posso falar do que é real, isso não existe até agora. Mas sobre os boatos eu fico feliz porque se trata de um dos maiores clubes do Brasil”.

O que mais pesa na hora de escolher um novo clube?

“O que vai pesar mais é onde o clube apresentar um projeto para títulos, um projeto vencedor. É isso que eu estou procurando agora. Dinheiro é bom, todo mundo gosta, mas se fosse só isso eu teria aceitado a proposta do futebol russo, quando eu tive a oportunidade de ir pra lá e eu não aceitei. O objetivo agora é um clube que vá brigar por títulos que vai disputar os melhores campeonatos pra eu possa parecer, voltar a ser feliz e ganhar títulos”.

Você se arrepende de ter ido para a Europa e ter deixado o Corinthians?

“Não, não me arrependo. Acho que tudo na vida é fase, é momento. Eu tive meu momento no Corinthians, quando ganhei muitas coisas, conquistei três títulos, fiz muitos gols e tive uma excelente passagem pelo Corinthians. Mas aquele momento tinha acabado, eu tinha que sair, procurar um novo objetivo e todo jogador tem um sonho de jogar na Europa e na época eu tive a oportunidade de jogar num grande clube europeu, que foi o Atlético de Madri. Não tenho nenhum arrependimento, acho que tudo na vida é momento”.



MaisRecentes

Diretoria do Vasco usa embargos na Justiça para que caso “HD do Vasco” não termine logo



Continue Lendo

Vitória de Galiotte e Leila Pereira no Conselho Deliberativo gera desconfiança no Palmeiras



Continue Lendo

Permanência de Diego Souza ajudou a estabilizar pressão no São Paulo



Continue Lendo