Proposta da Nike na véspera obriga Adidas a antecipar mais R$ 20 milhões ao Flamengo



AdidasO envio da minuta de contrato da Adidas pela diretoria do Flamengo para a votação no Conselho Deliberativo não fez a Nike se dar por vencida. A disputa nos bastidores com a Adidas continuou e só se encerrou na última terça-feira, véspera da votação no conselho, no qual contrato de R$ 420 milhões por dez anos foi aprovado por unanimidade pelos conselheiros. A empresa norte-americana tentou uma última cartada e enviou uma proposta equivalente à do Corinthians (R$ 300 milhões), mas com o valor de antecipação e luvas, de R$ 50 milhões, maior do que a oferecido pela multinacional alemã. A investida foi determinante para a nova diretoria conseguisse da Adidas a antecipação de R$ 58 milhões até fevereiro de 2013.

– Estamos no páreo. Os conselheiros do Flamengo vão ter uma surpresa na reunião. Vamos aguardar. A Nike ainda não considera que a Adidas fechou com o clube – disse um representante da Nike.

Num primeiro momento, as condições oferecidas pela empresa concorrente fizeram a nova diretoria, liderada por Luiz Eduardo Baptista, o futuro vice-presidente de planejamento e marketing, repensarem. Principalmente pelo valor que o Flamengo teria disponível no início da gestão e pela situação financeira difícil pela qual passa o clube. O salário de dezembro dos funcionários, por exemplo, está atrasado. A diretoria, porém, conseguiu da Adidas melhorias importantes e as negociações desde o meio do ano pesaram.

Com a minuta contratual já aprovada pelo Deliberativo, porém, os dirigentes se mobilizam para conseguir a liberação de verba para pagar os cerca de R$ 3 milhões para antecipar a rescisão com a Olympikus para o fim deste ano e, consequentemente, assinar com a Adidas. A finalização do acordo, porém, só deverá acontecer na semana que vem. Com as receitas variáveis, o contrato pode chegar a R$ 500 milhões.

Durante a reunião no Conselho Deliberativo do Flamengo, na última quinta-feira, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, defendeu e explicou detalhes do contrato com a Adidas. O dirigente revelou a conversa com a Nike e explicou os motivos que levaram a nova diretoria não aceitar as condições e dar prioridade à empresa alemã.

– Já estávamos namorando há oito meses uma bela mulher, uma outra passou do outro lado da rua e piscou o olho. Sem chance de conversar. Mas era preciso dizer isso aqui para não falar que só levamos em consideração essa proposta – disse Luiz Eduardo Baptista.

A última versão do contrato com as modificações só chegou para os dirigentes no fim da votação no conselho. Segundo o que foi acordado até esta quinta-feira, o Flamengo receberá até o dia 7 de janeiro R$ 38 milhões de luvas. Em fevereiro receberá verba antecipada de R$ 20 milhões referentes ao pagamento anual. Parte do valor das luvas serão destinados para o pagamento do rompimento com a Olympikus. Os outros R$ 2,6 milhões serão usados para terminar a obra do Museu, local escolhido para ser votado o contrato com a Adidas.

– Tenho experiência em contratos como esse. Só vamos dizer que fechou quando conferirmos todo o contrato e nos certificar de que tudo que foi prometido está no papel – acrescentou Luiz Eduardo Baptista.

Além dos cerca de R$ 52 milhões (tirando o pagamento da Olympikus e a finalização do museu), o presidente eleito Eduardo Bandeira de Mello terá disponível R$ 10 milhões em crédito, liberados pelo Conselho de Administração, e mais R$ 15 milhões de direitos de transmissão, segundo informação a diretoria de Patricia Amorim.

Durante a apresentação, os diretores da Adidas exibiram fotos das camisas 1 e 2 do Flamengo desenvolvidas pelos profissionais da empresa. Alguns conselheiros quiseram fotografar, mas foram orientados a não tirar fotos para que as imagens não fossem divulgadas.



MaisRecentes

De saída do Corinthians, atacante Roger interessa a Botafogo e Vasco



Continue Lendo

Conselheiros do Vasco criticam atuação de diretor de futebol



Continue Lendo

Árbitros da Ferj estão sem receber parte dos pagamentos



Continue Lendo