Atraso em orçamento prejudica Vasco com patrocínios



A comissão orçamentária ainda não entregou o orçamento para o ano que vem ao Conselho Fiscal e a preocupação só aumenta dentro do clube. Prova disso é que, na última terça-feira, Roberto Monteiro, presidente em exercício do Conselho Deliberativo, entrou em contato com Hélio Donin, presidente do Conselho Fiscal, para debater o assunto e ficou marcado um encontro para esta quinta-feira, aproveitando o fato de o Conselho Fiscal se reunir às quintas-feiras.

Em pauta, o calendário e o que pode ser feito para que não haja mais uma quebra de estatuto, já que, de acordo com o documento, os membros do Conselho Deliberativo devem receber os papéis com cinco dias de antecedência em relação à votação para a aprovação.

Roberto Monteiro ressalta que a falta de planejamento da diretoria e a ausência da documentação fazem com que fique ainda mais complicado de se arrumar patrocínios visando à próxima temporada.

– Por incrível que pareça, não existe punição por enviar com atraso essa proposta orçamentária. Esta falta de planejamento prejudica na hora de fechar patrocínio. As empresas querem saber em qual setor esse dinheiro vai ser aplicado. E hoje isso é uma incógnita – disse Monteiro.

Vale lembrar que no caso de o orçamento não ser entregue e votado até o fim do ano, de acordo com o estatuto, ficará valendo o anterior com os devidos ajustes monetários.

A cada dia que passa, o prazo para que se tenha, ao menos, um começo de temporada promissor diminui e o temor na Colina aumenta. Um bom trabalho dentro de campo depende, e muito, do andamento do clube fora de campo. E nesse quesito…

Orçamento de 2013 ‘pés no chão’

Para evitar que o Vasco passe um fim de ano tão desastroso financeiramente como em 2012 e o ano que vem se desenvolva com mais tranquilidade, o departamento de finanças do clube elabora um proposta orçamentária modesta e cautelosa. O ano de 2013 está sendo considerado internamente como de reestruturação da situação financeira do clube. O vice-presidente de finanças do Vasco, Nelson de Almeida, explica que esse planejamento vai surpreender e servirá para que, a longo prazo, o clube passe menos aperto e consiga cumprir com os compromissos com menos dificuldade:

– Estamos fazendo um projeto orçamentário dentro de uma realidade que nunca foi mostrada. O grande defeito dos clubes brasileiros é o amadorismo. Se fossem profissionais, os dirigentes teriam mais responsabilidade. Isso tem acontecido em todos os clubes. Está na hora de o Vasco colocar os pés no chão. E o Vasco será pioneiro mais uma vez. Não por gracinha, mas porque temos de viver uma realidade. Não podemos colocar só porque fica bonito no papel. Temos de acordar.

O caso

Atraso
A comissão orçamentária, nomeada por Dinamite, tinha até 30 de novembro para entregar o orçamento para 2013 ao Conselho Fiscal, mas até o momento isto não ocorreu.

Preocupação
Membros do Conselho Fiscal e Deliberativo se mostram apreensivos com o atraso e há a possibilidade de que o Vasco comece o ano com o orçamento anterior com reajustes.

Mudança
Roberto Monteiro assumiu o Conselho Deliberativo após Abílio Borges, presidente do poder, pedir licença alegando problemas particulares.

(Alexandre Araújo e Bruno Braga)



MaisRecentes

Gestão de associação coloca clubes de Santa Catarina na vanguarda do futebol



Continue Lendo

Internet e canais de filmes podem transmitir jogos do Brasileirão a partir de 2019



Continue Lendo

Zagueiro Igor Rabello pode deixar o Botafogo e se transferir para a Itália



Continue Lendo